3deko.info

Olá, meu nome é Pablo e criei este blog para ajudar os estudantes portugueses a estudar. Carrego milhares de arquivos úteis toda semana

BAIXAR CAPITU TRILHA SONORA


QUEM SABE – Manacá e Chico Neves (tema de Capitu e Bentinho) CASMURRO MINIMAL (instrumental) – Tim Rescala e Chico Neves LAMENTO. A trilha de Capitu contou com músicas originais de Tim Rescala, músicas clássicas, rock de cantores e grupos internacionais, canções brasileiras e músicas da. Não a da trilha sonora de “Capitu” – que sonoriza as cenas de Dona Glória se vestindo com “God . AInda não consegui baixar Lily & Maria.

Nome: capitu trilha sonora
Formato:ZIP-Arquivar
Sistemas operacionais: iOS. Windows XP/7/10. MacOS. Android.
Licença:Grátis (* Para uso pessoal)
Tamanho do arquivo:51.22 Megabytes

Ele destaca que a palavra dinheiro, nesse captulo, est empregada como smbolo ertico. Jos Verssimo O enigma de Capitu. Terminator Impaled E ela, bem, ela também gostava dele. Silvestre Revueltas - Sensemaya Qawiun — Eduardo Queiroz Num domingo, chamei-o a jogar cartas; no quis; convidei-o para um passeio pelo Centro, no aceitou; propus uma visita a D. Slipping Through My Fingers Postado por Heyner Mercado às quinta-feira, janeiro 25, Reações:. Isso, provavelmente, ocorre devido sua ambigidade e pelas dvidas deixadas por Machado de Assis sobre a fidelidade dela. Hooked on Multiphonics 3. Canal de Séries. Mesmo aps um sculo de existncia, a personagem Capitu da obra Dom Casmurro, de Machado de Assis, continua sendo objeto de especial ateno da crtica literria. Candeia — Filipe Mendonça Crime Of The Century Presente y futuro del español en Estados Unidos. Unindo a misso que recebeu e a indignao sentida, aps ter a notcia da histria publicada pelo ex-marido, Capitu escreve o livro. Portanto, isso no impede que o filme Dom seja discutido como texto, j que sua anlise tambm parte do roteiro. Nele o autor relata a interferncia da profisso de Bentinho na sua vida pessoal ao tentar, no seu depoimento, convencer o leitor da infidelidade de Capitu.

A trilha de Capitu contou com músicas originais de Tim Rescala, músicas clássicas, rock de cantores e grupos internacionais, canções brasileiras e músicas da. Não a da trilha sonora de “Capitu” – que sonoriza as cenas de Dona Glória se vestindo com “God . AInda não consegui baixar Lily & Maria. Pontos de download necessários para baixar . Trilha sonora. A trilha de Capitu contou com músicas originais de Tim Rescala, músicas. Baixar Trilha Sonora Capitu () - Soundtrack. Posted: 29 Nov PM PST. INFORMAÇÕES: Nome do Álbum: Capitu. Tamanho. Based on the famous Brazilian novel Dom Casmurro, by Machado De Assis, Capitu was a mini-series that gave a more theatrical look at the book's history.

25 séries incríveis dos anos 90 para maratonar

Mas, numa fatalidade, Escobar morre afogado no dia seguinte. Por isso optei por um outro título, Capitu, diferente de Dom Casmurro, título original do romance.

A fala tem uma força extrema. Gosto de pensar que Machado permaneceu, independentemente da alta qualidade de sua literatura, porque soube continuar, insistir nos seus temas obsessivos, correndo todos os riscos por isso. No meu modo de ver, a força de sua literatura era exatamente essa antena parabólica que o próprio escritor encarnava.

Hoje estamos plugados na internet, recebendo informações de todas as línguas e por todas as formas. Eu me agarrei a essa ideia da ópera e das ruínas e fui. De certa forma, Dom Casmurro é montado assim, como um conjunto de colagens de camadas de tempos e de avessos. Ele mesmo o diz.

SONORA TRILHA BAIXAR CAPITU

O texto usado pelo elenco é absolutamente fiel ao que foi produzido pelo escritor. O texto é Machado puro, sem nenhum artigo meu, sem nenhuma vírgula minha.

Criei essa figura presente do Dom Casmurro. Ele é uma voz, mas uma voz com corpo. Elas pertencem ao mundo mítico da literatura. Como foi dito aqui, cada um vai imaginar a sua própria Capitu — espero que sim.

O artista tem uma necessidade espiritual, vital, de continuar. A trilha sonora, pesquisada e selecionada pelo diretor, acompanha o conceito de modernidade do escritor proposto por Luiz Fernando Carvalho. A primeira cena da minissérie é embalada pela antológica Voodoo Child , de Jimi Hendrix. Melhor Fotografia — Adrian Teijido.

O livro revela a pesquisa do diretor, equipe e atores para criar a minissérie. Ilustrado com frames da minissérie, o livro traz também um texto do diretor Luiz Fernando Carvalho. O livro é uma coletânea de contos, crônicas e ensaios sobre a personagem Capitu.

Em um aspecto o diretor escolheu ser inteiramente literal: na vivacidade e beleza dos olhos de Letícia Persiles e Maria Fernanda Cândido. É programa que vale esforço para silenciar ruídos externos de toda espécie. Mande instalar janelas anti-ruídos. Desligue telefones e interfones. Sente-se diante da TV como quem estivesse no cinema. Ele é um autor, no sentido amplo da palavra, o criador de uma estética própria, que ele vem construindo desde Os Maias.

Um homem inseguro da sua masculinidade. A borboleta aquece as asas ao sol e revoa, rodopia e invade a casa, ocupa as ruas e grita ao mundo que a plenitude é possível.

Seria isso mesmo? Queria quebrar o preconceito contra a obra de Machado, geralmente empurrada goela abaixo nas escolas.

Capitu a partir do romance Dom Casmurro, de Machado de Assis. Quem fala contigo, é a Vania, vocalista da banda 99 macacos. Fiquei feliz demais de saber que curtiu nosso som. Te conheci quando ainda apresentava o Jornal da Mtv que eu adorava! Entrei de curiosa, claro. Parabéns, querido! Eu queria ter dito tudo isso em off… sou tímida! Zeca, aqui é a Juliana que te falou sobre o Viva Voce. Você chegou a ouvir o novo do Brian Eno com o David Byrne?

Aí, décadas depois, o filho dela mostrou a fita pro amigo, que era o J. Mascis, do Dinosaur Jr. É lindo mesmo. E mais uma dica. Baixe o Maria T, que é um tributo a uma das mais importantes artistas romenas do séc.

I would like to suggest that the question of judgment is the wrong question to raise in the context of canon-formation. Porm, mesmo com a presena de algumas escritoras no cnone - j que autoras consagradas, como Jane Austen, foram por muito tempo excees - ainda continuava prevalecendo a preferncia dos crticos em levar canonizao somente as obras de autoria masculina, sendo que somente elas eram merecedoras de ateno crtica.

Sobre a questo de raa, no incio do sculo XX o teor de excluso era to evidente, que havia uma apologia ao branqueamento como critrio de civilizao, ou seja, a questo racial prevalecia, acima de qualquer critrio de avaliao do processo cannico. H tipos superiores, raas superiores Creio que no Brasil terminar predominando o tipo branco Ns, individualmente, nos acreditamos inteligentes e vivos. Temos gosto pelas coisas de esprito, e a pequena elite, que se preocupa com livros e escritores e que encontra no mundo fenmenos mais interessantes do que as intrigas da politicagem indgena, l e procura cultivar-se, acompanhando o movimento literrio moderno.

Os textos literrios pertencentes s classes sociais mais baixas no se destacavam no processo cannico, at o sculo XX, visto que apenas uma minoria de alto padro social decidia quais trabalhos poderiam ingressar no cnone literrio. Dessa forma, era comum que os intelectuais inseridos na alta sociedade fossem favorecidas pela canonizao literria.

Atualmente, no h muitas mudanas nesse processo com relao s questes de gnero, raa e classe social. No Brasil, poucas mulheres e negros tm suas obras consagradas pela Conversely, when more and more women after the mideighteenth century were taught to read and write, works by women did begin to appear in the canon for example, the novels of Jane Austen. Estudos crticos. Rio de Janeiro, Jacinto Ribeiro dos Santos, Pensar d as margens: estar o cnone em estado de stio?

Rio de Janeiro: Abralic, O fator racial, sendo um forte critrio de excluso, impede que autores negros tenham seu merecido reconhecimento. Na histria da literatura brasileira, entre os renomados autores, poucos autores negros tiveram destaque, tais como Lima Barreto, Cruz e Sousa e Machado de Assis. Os autores foram, muitas vezes, discriminados e vtimas de preconceito de cor.

Lima Barreto, de pai portugus e me escrava, foi vtima de toda espcie de preconceitos. Assim como o poeta Cruz e Sousa, s teve seu valor reconhecido postumamente. Na contracorrente do habitual, Machado de Assis foi consagrado como um dos maiores escritores da literatura brasileira aps o xito obtido com seus romances da sua fase madura. Alm de ser negro e de origem humilde, o escritor fluminense apenas freqentou a escola primria, caractersticas que jamais possibilitariam seu ingresso no cnone literrio.

Claudio Cruz, no ensaio A prosa de Lima Barreto: o que quer essa lngua? O ensasta aponta a formao dos trs escritores negros:. Formao excepcional teve o garoto Cruz e Souza, muito boa no caso de Lima Barreto, e autodidata, em grande parte, no que diz respeito a Machado de Assis mas, mesmo assim, s possvel pelo apadrinhamento inicial. A produo intelectual de Machado de Assis, iniciada com a crnica e o teatro, se intensificou com os romances da maturidade, gerando grande repercusso na crtica literria.

Rita Terezinha Schmidt destaca: os crticos literrios sempre tiveram uma atuao. CRUZ, Claudio. A prosa de Lima Barreto: o que quer essa lngua? O direito fala: a questo do preconceito lingstico. Florianpolis: Insular, Apadrinhamento, para o autor, refere-se conscincia social de nobres famlias do Imprio e a conseqente adoo social, efetuado pela famlia de posses, em relao ao escritor.

Machado foi canonizado, apesar de suas condies histricas no lhe serem favorveis. O sucesso de sua produo literria, desde o sculo XIX, atravessa sculos e garante xito para a literatura brasileira em nvel mundial.

Dentre a triologia mais famosa do autor - Memrias Pstumas de Brs Cubas, Dom Casmurro e Quincas Borba - Dom Casmurro o romance de Machado de Assis que mais repercutiu na crtica brasileira, e a personagem feminina Capitu tornou-se alvo principal de muitas discusses. Os crticos literrios e os escritores contribuem com a canonizao da obra Dom Casmurro, produzindo discusses e diferentes leituras em torno dela. Trevisan em Capitu sou eu e Moacyr Ges Filho, no filme Dom constroem em seus textos88 diferentes personagens chamadas, ou apelidadas, Capitu, inspirados na obra de Machado de Assis.

No romance Capitu, de Lygia Fagundes Telles e Paulo Emilio Salles Gomes, a inteno dos autores era apenas fazer uma adaptao cinematogrfica, idia que surgiu em plena ditadura militar, na dcada de Entretanto, aps o lanamento do filme89, o roteiro foi esquecido por alguns anos.

Depois da morte de Paulo Emilio Salles Gomes, em setembro O termo texto, nesse estudo, abrange diferentes linguagens e gneros narrativos. Portanto, isso no impede que o filme Dom seja discutido como texto, j que sua anlise tambm parte do roteiro.

Somente em , Lygia encontrou os escritos com o responsvel pelo acervo da Cinemateca e os publicou.

Riverdale | Trilha sonora do episódio musical está disponível online

Os prprios autores admitem que escrever sobre a Capitu machadiana seria recrila, pois dar continuidade mesma Capitu de Dom Casmurro seria uma tarefa v e trairia a Capitu de origem. Eles se justificam:. J tnhamos discutido antes as dificuldades de recriar literariamente Dom Casmurro para uma futura adaptao cinematogrfica. Usando de toda liberdade nessa recriao e sem trair o original possvel isso?

SONORA TRILHA BAIXAR CAPITU

A esperana da liberdade sem traio. No romance Enquanto Isso em Dom Casmurro, de Jos Endoena Martins, Capitu multiplicada com diferentes traos fsicos e psicolgicos, alterando inclusive sua cor. A personagem, cansada da vida que leva, abandona o romance realista Dom Casmurro e passa a ter uma nova vida, ps-moderna, na cidade de Blumenau, transformando-se numa outra Capitu.

Antonio Hohlfeldt explica, na obra A literatura catarinense em busca de identidade: a poesia, a guinada na vida de Capitu:. A idia simples e eficiente: a personagem central de Dom Casmurro, clssico de Machado de Assis, cansa-se da mesmice em que, segundo ela, vivia naquele romance realista, e, mediante o desejo, atravessa as fronteiras espao-temporais, deslocando-se para um outro texto, no caso, o romance em processo Enquanto Isso em Dom Casmurro. Nesse romance, Jos Endoena Martins transporta a Capitu de Machado de Assis para dentro de sua obra e a recria de modo irreverente e pardico.

A personagem convive e. A literatura catarinense em busca de identidade: a poesia. Porto Alegre: Movimento, Florianpolis: Ed. A obra Amor de Capitu, de Fernando Sabino, narrada em terceira pessoa, contrapondo-se narrao de Dom Casmurro, que feita, como se sabe, pelo protagonista Bentinho, na primeira pessoa.

A inteno do autor desmistificar a narrao de Bento Santiago para anular a influncia do personagem-narrador na opinio do leitor sobre a questo do adultrio em torno de Capitu.

A personagem, depois de morta, se revolta com o depoimento do seu marido, em Dom Casmurro, e descreve toda a sua trajetria de vida ao lado de Bentinho. Capitu se defende da acusao de adultrio, expondo fatos que Bentinho omitiu no seu testemunho. Marilene Felinto, no artigo Hoje isso tem o nome de crticafico, explica a inteno do autor, ao afirmar que: Proena Filho faz uma espcie de libelo feminista, uma vingana da Capitu que teria por objetivo restaurar sua imagem de leviana criada por Bentinho.

A autora promove um encontro entre uma das principais personagens da literatura portuguesa, Maria Eduarda, com a mais clebre figura feminina da literatura brasileira, Capitu. O enredo se desenvolve no final do sculo XIX, no exlio das personagens. A pea teatral descreve a relao e o confronto entre as personagens femininas de Dom Casmurro e de Os Maias93, em que ambas expem seus lamentos e relatam como eram suas vidas antes de serem exiladas. Ao contrrio de muitos predecessores romancistas e ensastas, a autora no busca solues quanto questo do adultrio de Capitu, apresentada no romance de origem.

Maria Velho da Costa acrescenta, Hoje isso tem o nome de crtica-fico. Folha de S. Paulo, So Paulo, 11 mar. O conto Capitu sou eu, de Dalton Trevisan, narra o envolvimento de uma professora de literatura com seu aluno, que se destaca dentre a classe por ser o nico a acreditar que Capitu realmente cometeu o adultrio.

Sem muitos argumentos, ele responde questo de uma prova acusando a personagem e julgando-a como uma mulher qualquer. A atrao fsica da professora pelo aluno torna-a uma mulher submissa, disposta a atender a todas as exigncias do garoto para t-lo por perto.

O texto se distancia bastante do romance de Machado de Assis porque Capitu, no conto, um modelo de mulher, criado pelo aluno, ao qual a professora se compara. No filme o diretor transformou o piv do cime doentio de Bentinho, Escobar, em Miguel, dono de uma produtora. Ana, apelidada como Capitu na infncia pelo melhor amigo, Bento, trabalha para Miguel como atriz.

Miguel reencontra seu antigo amigo, o engenheiro Bento. O trio se encontra e Bento revive sua paixo de infncia por Ana. Os dois se casam e tm um filho. Aps uma discusso do casal, Ana morre em um acidente de trnsito. Bento queima o envelope do exame, esquece a dvida que tinha e decide criar o filho que suspeitava ser de Miguel. Ao multiplicar a Capitu de Dom Casmurro em suas obras, os escritores apresentados neste captulo enaltecem a personagem de origem, ao mesmo tempo que, por vezes, desafiam a narrativa machadiana, parodiando-a.

Toda produo literria acerca da Capitu machadiana gera novos admiradores e estimula outros escritores a elaborarem outros. A personagem feminina Capitu apresentada ao leitor sob a narrao persuasiva do seu marido, Bentinho, em Dom Casmurro. As suas diferentes identidades revelam uma mulher disposta a ir alm do confinamento atribudo s mulheres do sculo XIX. Ir alm do que imposto s mulheres no mbito de sua atuao social um dos temas discutidos em torno da questo do gnero. Esse espao do presente estudo destina-se a analisar a personagem machadiana, Capitu, inserida no contexto de gnero.

Jane Flax, em Psmodernismo e as relaes de gnero na teoria feminista, explica o que envolve as relaes de gnero: o estudo das relaes de gnero inclui temas que so em geral considerados caracteristicamente feministas, mas no se limita a eles: a situao das mulheres e a anlise da dominao masculina. O sculo XIX foi marcado por muitas transformaes, destacando-se o desenvolvimento do capitalismo, o crescimento da vida urbana, a consolidao de ideais burgueses, responsveis, em grande parte, pela organizao familiar, incluindo-se a os direitos e deveres de homens e mulheres.

Nas principais cidades brasileiras, apesar das mudanas que aos poucos surgiam, havia ainda um cdigo de socializao, para as mulheres, restrito ao ncleo familiar. FLAX, Jane. Ps-modernismo e as relaes de gnero na teoria feminista. Ps modernismo e poltica.

Nesse cdigo, a autora defende que a rua um local que define valores diferentes para as mulheres. Ou seja, a rua no era um espao freqentado por mulheres respeitadas e pertencentes s famlias de classe alta.

Como a rua era um lugar circunscrito s mulheres de classes dominantes, pois no era um espao que lhes era permitido freqentar, a expanso do seu espao social, do interior da casa at a rua, pode ser vista como uma atitude de libertao. Pois somente as mulheres brancas e pobres, prostitutas e escravas tinham a permisso de freqentar a rua, visto que esse era o seu espao de ganho de sobrevivncia ou a geografia de sua marginalidade. A rua - que antes definia qual a nomeao da mulher, segundo o cdigo de socializao: a proibio legitimava dignidade e condio social superior; a freqncia caracterizava descrdito e posio social inferior - passou a significar um avano que a condio feminina conquistou naquele sculo.

As escolas femininas eram poucas na primeira metade do sculo XIX e davam s alunas noes limitadas de portugus, clculos, geografia, histria, francs e trabalhos manuais. Nessa poca a taxa de analfabetismo era demasiadamente alta.

Porm, com a introduo e expanso do gnero romance no Brasil, o pblico feminino marcou uma forte presena entre os leitores. Os escritores pertencentes a esse tempo se preocuparam com a produo de jornais e revistas familiares, que se destinavam ao pblico das leitoras, com a crena de que esse pblico aumentaria cada vez mais.

Ou seja, a influncia do pblico de leitoras se sobreps fora de criao do escritor. Embora a leitura e a preferncia feminina tenham sido qualificadas como inferiores masculina, o interesse dos escritores era enfocar o pblico de leitoras que recebia e consumia os seus romances. Nos encontros femininos, as atividades centravam-se em momentos de bordar, costurar, trocar confidncias e, sobretudo, de ouvir uma leitura em voz alta.

A leitura feminina. Para Capitu, no romance Dom Casmurro, a leitura e a aprendizagem obtida na escola estimulavam sua curiosidade e o seu desejo de buscar novos conhecimentos: As curiosidades de Capitu do para um captulo Lia os nossos romances, folheava os nossos livros de gravuras, querendo saber das runas, das pessoas, das campanhas, o nome, a histria, o lugar.

No romance machadiano, Capitu desejava abandonar sua origem humilde e inserir-se na alta sociedade. Sua ambio foi unida ao seu sentimento de amor por Bentinho, pois o rapaz pertencia a uma famlia de classe alta.

No sculo XIX, as mulheres casavam-se muito cedo e tinham muitos filhos, sendo consumidas pelos partos, pelos afazeres domsticos e pela administrao da escravaria. A famlia representava uma instituio na qual a mulher destacava-se pelas suas atribuies e responsabilidades domsticas, sempre submissas ao poder masculino. Verena Stolcke, no texto Los trabajos de las mujeres, relata a funo da mulher casada dentro do mbito domstico:.

A domesticao da mulher em definitivo um produto do controle do homem sobre a sua sexualidade e capacidade reprodutora da mulher devido ao interesse de perpetuar o acesso desigual aos meios de produo. Uma vez casadas, as mulheres deveriam sair de casa apenas para ir Igreja e visitar doentes da famlia e, mesmo assim, sempre acompanhadas. Capitu no teve um destino muito. Los trabajos de las mujeres. Sociedad, subordinacin y feminismo. Bogot: Asociacin Columbiana para lo Estado de la Pobacin, Usos e abusos da categoria de gnero.

Y nosotras latinoamericanas? Capitu sabia que o casamento, para ela, alm de ser um meio de oficializar a unio com o namorado de infncia, tambm era uma forma de concretizar seus planos de vida. Contrariando os costumes da poca, foi ela quem partiu para a conquista, ainda na meninice. Depois de ter riscado seu nome e o nome de Bentinho no muro, valeu-se da curiosidade do amigo, para, na presena dele, apagar o que havia escrito.

Essa atitude acendeu em Bentinho o desejo de ler o que ela escrevera. Dei um pulo, e antes que ela raspasse o muro, li estes dois nomes, abertos ao prego, e assim dispostos: Bento Capitolina.

Pedi-lhe que levantasse a cabea, podia ficar tonta, machucar o pescoo. Cheguei a dizer-lhe que estava feia; mas nem esta razo a moveu. Levanta, Capitu! No quis, no levantou a cabea, e ficamos assim a olhar um para o outro, at que ela abrochou os lbios, eu desci os meus, e As atitudes de Capitu surpreendiam Bentinho e, assim, a menina de Matacavalos conquistou o que almejava.

Entretanto, para a unio matrimonial se concretizar, houve um perodo de espera para o jovem casal de namorados. Capitu, alm de ter aguardado Bentinho sair do seminrio, esperou-o at que ele se formasse em Direito, em So Paulo. A vida de recmcasados era repleta de alegrias, porm no demorou muito para a felicidade conjugal ser ameaada. Os cimes de Bentinho brotaram logo nos primeiros bailes que o casal freqentara.

Tais festas eram, no sculo XIX, praticamente as nicas ocasies em que as damas participavam da vida social.

CAPITU TRILHA SONORA BAIXAR

Certa vez, Capitu foi repreendida pelo marido por causa dos braos nus que deixava mostra nos trajes que vestia. Durante o namoro, Bentinho havia 98 A reao de Bentinho resulta nas mangas compridas do vestido de Capitu. Durante o casamento, esse sentimento se acentuou, estendendo-se at aos pensamentos de sua esposa.

Venho explicar-te que tive tais cimes pelo que podia estar na cabea de minha mulher. Os cimes dele se intensificaram aps ele ter interpretado que as lgrimas e a expresso de Capitu, direcionada ao falecido Escobar, no caixo, fossem de algum que no havia perdido somente um amigo.

A mania que o filho de Capitu tinha em imitar as pessoas, em especial Escobar, e as semelhanas que Bentinho acreditava que havia entre ambos, conforme a criana crescia, provocaram a desconfiana de que Ezequiel fosse filho de Escobar.

Capitu passou a sentir a frieza e a amargura do marido, sem saber que a atitude dele era resultante da sua raiva e do seu desejo de vingana, conforme se pode entender a partir da observao de Maria Rita Kehl, no texto A mnima diferena: J sabemos que o homem odeia o que o aterroriza.

Ela foi comparada, pelo marido, com Desdmona e ele conclui que Capitu devia morrer. Convencido da culpa de Capitu, ele imagina um triste fim para a esposa ao compar-la com Desdmona que, embora inocente, fora morta pelo marido com um travesseiro. Bentinho transporta Capitu para a tragdia shakesperiana e questiona o que o personagem Otelo usaria para matar Capitu.

Bentinho descreve, inescrupulosamente, como mataria Capitu de forma cruel: um travesseiro no bastaria; era preciso sangue e fogo, um.

Maria Rita. A mnima diferena. In: A mnima diferena: masculino e feminino na cultura. Rio de Janeiro: Imago, Capitu nem desconfiava que sua morte estava sendo planejada pelo marido ou que seu filho poderia ser envenenado pelo mesmo. Ela apenas sentia a indiferena e a falta de interesse do marido por ela e pelo filho.

Essa averso de Bentinho, pela famlia, unida aos cimes doentios dele, fizeram com que Capitu, ao poucos, se rendesse s exigncias dele e deixasse de revidar suas atitudes. Dessa forma, ela deu-se por vencida por Bentinho e por todo o patriarcalismo por ele representado, aceitando a separao e o exlio impostos pelo marido.

Capitu vai alm do que concebido ao papel de esposa para a mulher do sculo XIX. Para a mulher, nas suas atitudes limitadas pela poca, a interferncia no mbito masculino vista como uma vitria e conquista de espao. Entretanto, para o homem, todo gesto de emancipao feminina sentido como perda ou ameaa de poder.

Trilha sonora pornô

Bento Santiago apresenta no seu testemunho uma mulher frente do seu sculo. Capitu uma personagem que rompe com o padro de mulher do sculo XIX pelas suas atitudes inovadoras. Entretanto, a moa com idias prprias vencida pelo patriarcalismo representado pelo seu marido, sendo reprimida e submetida ao exlio at o restante dos seus dias.

Na relao conjugal do sculo XIX o homem exercia o poder sobre as finanas, e era ele quem tinha a responsabilidade de trabalhar para o sustento da famlia. J o poder da mulher era circunscrito aos afazeres domsticos e criao dos filhos, porm o senhor da famlia teria o conhecimento e o controle das decises tomadas pela mulher. Maria Luiza Heilborn, no artigo Usos e abusos da categoria de gnero, explica a responsabilidade da. Na medida em que a famlia implica um ordenamento das funes sexuais e reprodutivas e uma diviso sexual do trabalho, o cuidado com a prole sempre destinado s mulheres, o que se situa alm do papel propriamente reprodutivo.

Capitu infringe essa tradio matrimonial ao se interessar pelas finanas da casa e ocultar do marido as economias que estava fazendo.

Ela revela suas economias ao marido para justificar que sua falta de ateno na explicao dele sobre astrologia era decorrente dos clculos que ela realizava: - Mas que libras so essas? Perguntei-lhe no fim. Capitu fitou-me rindo Ergueu-se, foi ao quarto e voltou com dez libras esterlinas, na mo; eram sobras do dinheiro que eu lhe dava mensalmente para as despesas. Sem saber, ela se torna uma ameaa identidade masculina de Bentinho. Maria Rita Kehl explica que a interferncia da mulher no mbito que era, at ento, considerado s masculino, pode representar para o homem um sentimento de perda de poder e isso pode ser aplicado na relao de Capitu com Bentinho.

No caso das pequenas diferenas entre homens e mulheres, parecem ser os homens os mais afetados pela recente interpenetrao de territrios e no s porque isso implica possveis perdas de poder, como argumentaria um feminismo mais belicoso, e sim porque coloca a prpria identidade masculina em questo.

As identidades de Capitu como filha, namorada e esposa revelam que ela uma personagem que est frente do seu sculo, pois suas atitudes no condizem com o modelo de mulher no sculo XIX.

Por ir alm dos padres femininos de comportamento da poca, Capitu A mnima diferena: masculino e feminino na cultura. Assim, Capitu passa ser vtima de todo o patriarcalismo representado pelo seu marido, tendo como punio a separao e o exlio impostos.

A Capitu desses romances estabelece um dilogo com a personagem do texto de origem, num trabalho intertextual. Julia Kristeva, uma das precursoras na utilizao do termo intertextualidade, apresenta sua proposta desenvolvida a partir das noes de dialogismo e polifonia formuladas pelo filsofo russo Mikhail Bakhtin Em Introduo Semanlise, Kristeva prope a intertextualidade como trabalho de transposio e absoro de vrios textos: todo texto se constri como mosaico de citaes, todo texto absoro e transformao de um outro texto.

Bakhtin distinguiu dois tipos de romances: os monolgicos e os polifnicos. Observando as relaes entre o autor e seus personagens, Bakhtin identificou, no romance de Dostoivsky, um coro de vozes simultneas, um coro emergente de textos de um mesmo autor, expressando diferentes vises de mundo. Intitulou esse tipo de romance de polifnico, em oposio aos outros em que todos os personagens expressavam um mesmo ponto de vista e uma s ideologia, a voz do autor. A palavra, o dilogo e o romance. In: Introduo semanlise.

No prefcio do livro, a autora Lygia Fagundes Telles conta a trajetria da produo dessa obra, que iniciou no final da dcada de Ano de Rua Sabar , So Paulo.

Acordamos luminosos na manh daquele ms de novembro, Paulo Emilio e eu: amos comear, afinal, a escrever este roteiro. Porm, os prprios autores admitem que escrever sobre a Capitu machadiana seria recri-la, pois dar continuidade mesma Capitu de Dom Casmurro seria uma tarefa v e trairia a Capitu de origem. Eles se justificam: J tnhamos discutido antes as dificuldades de recriar literariamente Dom Casmurro para uma futura adaptao cinematogrfica.

Usando de toda liberdade nessa criao e sem trair o original possvel isso? Aps alguns anos, o casal pensou em retomar os escritos, mas sua produo literria havia se perdido entre outros documentos. A escritora, por muitos anos, esteve procura do material sobre Capitu que ela e Paulo Emilio haviam elaborado. Entretanto, somente em o roteiro foi encontrado com um antigo discpulo do autor, o cineasta Carlos Roberto de Souza, e assim, a obra Capitu foi publicada em Nela, a narrativa ocorre em terceira pessoa e inicia com os personagens Capitu e Bentinho j casados, recordando os episdios importantes que ambos passaram at aquele momento.

Ao trmino das recordaes, o romance passa a ser narrado a partir da vida de casados deles at a separao. Os autores enfatizam, em todos os momentos, o cenrio, e colocam sempre a presena de uma cmera filmando as cenas do romance, relembrando sua inteno de fazer uma adaptao cinematogrfica a partir do romance.

Algumas das caractersticas da personagem Capitu, presentes em Dom Casmurro, como seu poder dominador, sua vaidade e at sua fragilidade, so realadas e colocadas em evidncia nesta obra. Neste texto, a menina de Matacavalos, desde a sua infncia, j tinha certeza do seu amor por Bentinho, enquanto ele s percebeu seu sentimento aps constatar o desdm de Jos Dias por Capitu. Isso sugere que, mesmo com sua pouca idade, Capitu j premeditava uma possvel unio matrimonial com seu amigo de infncia.

J nessa fase, a dona dos olhos de ressaca agia de forma dominadora sobre Bentinho, influenciando suas atitudes e direcionando seus passos. Agindo assim, Capitu poderia ser caracterizada como uma bad girl, conforme definio de Lois Tyson:.

A ideologia patriarcal sugere que existem apenas duas identidades que a mulher pode assumir. Se ela aceita seu tradicional papel social de gnero e obedece s regras patriarcais, ela uma boa garota; se no, ela uma garota m. No romance de origem e na obra Capitu, a personagem Capitu, durante sua infncia e adolescncia, pode ser definida como bad girl porque se mantm firme nas suas atitudes e decises, caractersticas no encontradas em Bentinho.

O controle que Capitu possui sobre o protagonista do romance Capitu muito bem exibido na obra, quando ela trama a melhor maneira de Bentinho se livrar do seminrio:. E faa elogios, ele gosta de elogios. Jos Dias quem vai convencer sua me a tirar voc desse seminrio, ele!

Bentinho, num tom dbil, meio distrado: - Mas Capitu Acho que ele foi embora. Capitu: - Quem? Bentinho: - O preto das cocadas Capitu, impaciente, como uma menina mais velha repreendendo uma criana: - Deixa as cocadas Controla-se. J est calma quando comea a juntar as peas do jogo. Temos que fazer o Jos Dias ficar do nosso lado. Do nosso lado, escutou Bentinho?

New York : Alk. Paper, There are only two identities a woman can have. If she accepts her traditional gender role and obeys the patriarchal rules, shes good girl; if she doent, shes a bad girl. Ela planeja o rumo da conversa entre Bentinho e Jos Dias, para que este convena Dona Glria a desistir da promessa de torn-lo padre.

Capitu, inclusive, adverte o amigo sobre a forma de tratamento a ser dirigida ao agregado, preocupando-se com todos os detalhes. Mostra-se madura e decidida, censurando a falta de ateno do amigo. Ela utiliza sua habilidade para se sobressair dentre todos que a rodeiam. Prova disso acontece, em ambos os textos, quando o jovem casal surpreendido no momento do primeiro beijo entre eles.

Capitu, logo que ouve os passos da me, disfara o ocorrido no momento, de forma to rpida que deixa Bentinho atnito: Ouvimos passos no corredor; era D. Capitu comps-se depressa, to depressa que, quando a me apontou porta, ela abanava a cabea e ria. Esse episdio atrai a ateno do leitor, porque nesse momento Capitu revela, nitidamente, seu domnio sobre Bentinho, induzindo-o a dizer o que ela quer escutar.

Ela aproveita o desconcerto do amigo, mediante a magia do primeiro beijo e o receio de ser flagrado pela me e, impiedosamente, pede para ele escolher entre ela ou a me dele. Capitu at o chantageia dizendo que se mataria se ele no optasse por ela: Voz de dona Glria: Bentinho! Voz de Capitu, assustada: sua me! Vou fazer uma pergunta, Bentinho. Vamos, me diga depressa, se tivesse que escolher entre sua me e eu, quem que voc escolheria? Nas visitas que o casal Sancha e Escobar fazia residncia de Capitu e Bentinho, Capitu revela-se extremamente vaidosa ao se deliciar com a admirao da amiga Sancha pelas suas jias e outros pertences que ela recebera como presentes da sogra, D.

Glria: Sancha: - To mimosa! Acho que eu ainda no conhecia esta estatueta. Capitu: - Presente da dona Glria. Sancha:- Que anjo de sogra! Inclina-se para Capitu como se quisesse examinar o bordado. Palavra que nunca pensei que ela fosse to rica. Capitu: - Deu-me tambm o colar e os brincos. Sancha, admirada: - O colar e os brincos? Meu Deus, eu no imaginava que ela tivesse jias assim.

Capitu vai desenredando a meada de linha. Bem-humorada, parece agora saborear o espanto da amiga. Tanto no romance de origem, como na obra Capitu, a amizade mantida entre a personagem Capitu e sua amiga Sancha, durante a infncia e adolescncia, mostra-se com vnculo afetuoso, longe de motivos que poderiam despertar algum sentimento semelhante inveja.

No entanto, essa forma de convivncia se modifica bastante aps o casamento de Capitu, havendo at troca de provocaes. Para se defender da censura do marido, pelos braos nus que exibia nos bailes que freqentava, Capitu at difama a amiga, criticando maldosamente a aparncia dos braos de Sancha para explicar o motivo pelo qual Escobar no permitia que a esposa sasse com os braos despidos: No permite porque os braos dela no so bem feitos, devem ficar escondidos.

Os dois romances diferem na forma com que Capitu trata Sancha, sua amiga. Em Capitu as duas parecem ser mais rivais que amigas. Nesse mesmo romance, a unio matrimonial vai aos poucos alterando sua personalidade, tornando-a numa mulher frgil e oprimida pelo marido, cujos cimes ela, inclusive, deixa de contestar. Durante sua infncia e juventude, Capitu uma mulher independente e habilidosa, que luta e alcana seus objetivos, Ibidem p.

Essa mudana claramente narrada na obra, quando Bentinho decide a separao e anuncia esposa sua ida, e de seu filho Ezequiel, para a Sua. Capitu ouve sem retrucar e sem se defender da acusao de adultrio feita pelo marido. Ela se humilha ao implorar que Bentinho desista da separao: Capitu, os olhos midos, suplicantes: - Vamos ficar longe um do outro e para sempre, Bentinho. Se eu for, no voltarei mais. Em Capitu, a personagem mostra-se mais frgil, dcil, quase submissa em relao ao marido, Bentinho.

As caractersticas e o poder de um sobre o outro, entre os personagens Capitu e Bentinho, na infncia e adolescncia, so invertidas com a unio matrimonial.

Enquanto um se fortalece, o outro enfraquece.

Porm, a diferena que Capitu penalizada, quando esta se fragiliza, pelo autoritarismo de seu marido. Essa alterao na personalidade de Capitu ao ingressar no papel social de esposa coincide com a discusso de Lois Tyson sobre os tradicionais papis sociais de gnero: tradicionais papis sociais de gnero definem os homens como racionais, fortes, protetores, e decisivos, e caracterizam as mulheres como emocionais irracionais , frgeis, e submissas.

Em Capitu, a vivacidade, a segurana e, sobretudo, o poder de dominao de Capitu sobre Bentinho so bastante acentuados. Essas caractersticas so ressaltadas durante sua infncia e a adolescncia.

Porm, com a concretizao do casamento, elas so inversamente aplicadas personagem, isto , de dominadora, ela passa a ser dominada, reprimida, acusada e submetida ao exlio por quem a acompanhou durante toda a vida, Bentinho. Aps o casamento, o comportamento e o destino da Capitu machadiana e da Capitu.

cts - Rap/Hip-Hop - Sua Música

Ambas interpretam o papel desempenhado pela mulher do sculo XIX, ou seja, poca de sua criao por Machado de Assis. Os romances demonstram que a mulher do sculo XIX poderia at extrapolar a condio feminina da poca, mas ela seria obrigada a retroceder atravs da imposio do patriarcalismo representado por seu parceiro. O texto de Sabino , como o prprio autor apresenta na introduo da obra, a leitura fiel do romance sem a presena do narrador de Dom Casmurro.

A inteno de Fernando Sabino, ao produzir uma recriao literria de Dom Casmurro, descobrir at que ponto a dvida da traio de Capitu teria sido premeditada pelo autor, atravs de um narrador evasivo, inseguro, ingnuo, preconceituoso e casmurro. Dessa forma, recria o romance Dom Casmurro com a presena de um narrador em terceira pessoa.

A narrativa de Sabino quase a mesma de Machado de Assis, diferenciando-se na incluso de um narrador em terceira pessoa e na linguagem. Algumas expresses utilizadas na linguagem da poca so substitudas por outros vocbulos sinnimos ou de acepo equivalente, como lbios, em vez de beios; rosto, em vez de cara, etc:. Essas alteraes na recriao literria no interferem nas caractersticas de Capitu, que permanecem as mesmas da Capitu machadiana.

Inclusive, no episdio em que Capitu e Bentinho juram apenas se casar um com o outro, o texto machadiano no alterado. Fernando Sabino repete a mesma situao que Machado de Assis cria no romance de origem, porm o juramento ocorre com a presena de um narrador. O autor utiliza em seu texto at as mesmas palavras do romance machadiano, durante o momento em que Bentinho e Capitu trocam juras de enlace matrimonial.

Voc jura uma coisa? Jura que s h de casar comigo? Capitu no hesitou em jurar, e at lhe vi as faces vermelhas de prazer. Jurou duas vezes e uma terceira: - Ainda que voc case com outra, cumprirei o meu juramento, no casando nunca. Capitu no hesitou em jurar jurou duas vezes e uma terceira: - Ainda que voc case com outra, cumprirei meu juramento, no casando nunca.

A Capitu de Amor de Capitu e a Capitu de Dom Casmurro so iguais, apresentando os mesmos traos fsicos e psicolgicos, porque h poucas diferenas entre a narrativa machadiana e a de Fernando Sabino.

Amor de Capitu. Leitura fiel do romance de Machado de Assis sem o narrador Dom Casmurro. Rio de Janeiro: tica, Ele simplesmente reescreve a obra em terceira pessoa, na voz de um narrador externo ao texto machadiano. No texto machadiano o titular da fala Bentinho, a viso dele que caracteriza a personagem Capitu. Porm, a obra de Domcio Proena Filho narrada por Capitu. A proposta do autor conceder voz a Capitu, para que ela narre, do seu ponto de vista, como foi sua vida ao lado de Bentinho, conforme vemos na introduo: S agora, decorrido tanto tempo humano, posso, finalmente, contestar as acusaes contra mim feitas pelo meu exmarido, o Dr.

Bento Santiago. Capitu, narradora-personagem, reconta a histria depois de morta porque a mesma, ao saber da forma como o seu ex-marido narrou os episdios da vida deles, revolta-se com a maneira com que Bentinho ocultou determinados fatos. Para tal atitude, Capitu relata