3deko.info

Olá, meu nome é Pablo e criei este blog para ajudar os estudantes portugueses a estudar. Carrego milhares de arquivos úteis toda semana

BAIXAR O KURUMIN.ISO


O link 3deko.info aponta para a versão mais atual, , 0. [ ], kuruminiso, , M. [ ], 3deko.info, Os Prós Aderi a tudo o que é Linux e o Kurumin é excelente: claro, intuitivo facil de Kurumin · Linux download portugues completo iso - Melhores respostas. voce arrasta a imagem iso para c: depois quando o kurumin entrar no . para queimar o CD iso do kurumin,baixe a iso, e grave, queime,em.

Nome: o kurumin.iso
Formato:ZIP-Arquivar
Sistemas operacionais: iOS. Android. Windows XP/7/10. MacOS.
Licença:Apenas para uso pessoal (compre mais tarde!)
Tamanho do arquivo:55.20 Megabytes

O KURUMIN.ISO BAIXAR

Videos Engraçados!.. As opes mais usadas so as relacionadas com o compartilhamento da conexo. Power Toys. O Linux Mint 18 tem tudo o que precisa? Ao dar boot em um micro com MB, o sistema vai exibir uma mensagem de aviso no boot, dizendo que o micro no atende aos requisitos mnimos e avisando que tentar criar um arquivo de swap, usando uma partio disponvel no HD. Por default, o Kurumin tenta detectar automaticamente a sua placa de vdeo e utiliza uma resoluo compatvel com seu monitor, detectada via DDC. Neste screenshot estou usando o Konsole:. Marisa Pinto says:. Clones de Basic. Os dois esto disponveis tanto para Linux quanto para Windows, de forma que voc pode acessar um micro com o Windows a partir do Kurumin ou vice-versa. Por isso pedia a vossa ajuda: Fiz os downloads sugeridos e guardei-os. Nas verses atuais do X. Requisitos mínimos:. Existem trs padres diferentes de rede wireless em uso. Uma distribuio Linux como uma receita. Os dados so descompactados on-the-fly, conforme so necessrios. A idia aqui foi dar apenas uma introduo rpida sobre as funes mais comuns. O vosso valor acrescentado, foi a traducao do ingles e a divulgacao da metodologia. Ultimate Boot CD 5.

Os Prós Aderi a tudo o que é Linux e o Kurumin é excelente: claro, intuitivo facil de Kurumin · Linux download portugues completo iso - Melhores respostas. voce arrasta a imagem iso para c: depois quando o kurumin entrar no . para queimar o CD iso do kurumin,baixe a iso, e grave, queime,em. Kurumin Linux é um programa desenvolvido por Carlos E. Morimoto. Acesse e veja mais informações, além de fazer o download e instalar o. Kurumin Linux foi uma distribuição Linux baseada no Knoppix e que mantém o mesmo sistema . Também é possível instalar o Kurumin no HD, usando o utilitário "Instalar Kurumin no HD, mantendo as configurações atuais" encontrado no. Ele realiza testes de desempenho de redes com acesso a Internet, através de servidores espalhados dentro dos pontos de troca de trafego da Internet.

Para salvar voc pressiona F2 e para sair, F O joe um meio termo. Ele muito parecido com o antigo Wordstar do DOS e usa as mesmas teclas de atalho que ele. O vi o mais complicado da turma. Ele tem trs modos de operao: comando, edio e o modo ex.

Ao abrir o programa, voc estar em modo de comando; para comear a editar o texto, pressione a tecla i. A partir da, ele funciona como um editor de textos normal, onde o Enter insere uma nova linha e as setas movem o cursor. Quando terminar de editar o arquivo, pressione Esc para voltar ao modo de comando e em seguida ZZ dois Z maisculos para salvar o arquivo e sair. Para sair sem salvar, pressione Esc e digite :q! Completando esta introduo ao uso do terminal, aqui vai uma pequena descrio dos comandos bsicos: cd: Serve para navegar entre os diretrios.

Para subir um diretrio use cd.. Sempre que quiser confirmar em qual diretrio est, use o comando pwd. Na maioria das distribuies, a listagem aparece colorida, permitindo diferenciar as pastas e os diferentes tipos de arquivos.

As pastas aparecem em azul, os links em azul claro, os arquivos compactados em vermelho, as imagens em rosa, os executveis em verde e os arquivos de texto e outros formatos em preto. Para incluir os arquivos ocultos que no Linux comeam com.

Kurumin NG 8.06 Final (Versão Estável)

Para ver mais detalhes sobre cada arquivo, incluindo o tamanho, permisses de acesso e dono, use ls -lha. Acostume-se a sempre usar a tecla Tab para completar os comandos principalmente os nomes de arquivos. Assim, alm de digitar mais rpido, voc diminui a possibilidade de erros.

Para facilitar as coisas, cada comando possui um manual, onde so citados todos os parmetros e vrios exemplos. Todos estes manuais so acessados atravs de um comando nico, o man. Para ver as muitas opes do ls, por exemplo, use man ls.

Use as setas para rolar a tela e, para sair do manual, pressione a tecla q. Inclua o nome do arquivo e a pasta para onde ele vai, como em cp arquivo. Se voc quiser copiar um arquivo que est em outra pasta para o diretrio atual, inclua a localizao completa do arquivo e em seguida o.

Um parmetro bastante til o -a, que faz com que o cp sempre copie recursivamente, mantenha as permisses do arquivo original e preserve os links simblicos que encontrar pelo caminho. Em resumo, faz o cp se comportar de uma forma mais simples e lgica. Para mover o arquivo foto.

Voc pode usar o mv tambm para mover e renomear pastas. A diferena entre o mv e o cp que, ao mover, o arquivo original deixa de existir. Para remover um arquivo simples, basta us-lo diretamente, como em rm arquivo. Para que ele remova sem pedir a confirmao, adicione o parmetro -f, como em rm -f arquivo. Tome cuidado ao usar o -rf, pois ele no pede confirmao, deleta os arquivos diretamente, sem escalas.

Respire fundo e verifique se realmente est deletando a pasta certa antes de pressionar Enter. Mesmo que a pasta novos no exista, ela ser criada. A diferena entre ele e o rm -rf que o rmdir s remove diretrios vazios. Acostume-se a us-lo no lugar do rm -rf ao deletar uma pasta que acha que est vazia, assim voc evita acidentes. Assim como mecanismos de busca, como o Google, o locate no sai procurando em todo o HD at achar o arquivo que pediu.

Ele procura apenas dentro de uma base de dados, que contm os nomes de todos os arquivos. Esta base gerada ou atualizada ao rodar o comando updatedb, sua cara metade.

Por exemplo, cat carta mostra o contedo do arquivo carta. Este comando serve bem para ver o contedo de arquivos de texto pequenos, sem precisar abrir um editor mais sofisticado. Ele permite fazer com que a sada de um comando seja enviada para outro ao invs de ser mostrada na tela.

Parece uma coisa muito extica, mas acaba sendo incrivelmente til, pois permite combinar diversos comandos que originalmente no teriam nenhuma relao entre si, de forma que eles faam alguma coisa especfica. Ele freqentemente usado em conjunto com o pipe, sobretudo em scripts. Um exemplo simples: sua placa de rede no est funcionando e voc quer saber se o mdulo de kernel sis, que d suporte a ela, est carregado. Voc pode ver os mdulos que esto carregados usando o comando lsmod, mas a lista um pouco longa.

Voc poderia completar o lsmod com grep sis, que vai filtrar usando o grep, mostrando na tela apenas as linhas contendo sis O comando ficaria, ento, lsmod grep sis Se no aparecer nada na tela, voc sabe de antemo que o mdulo no est ativo, Neste caso, voc poderia tentar carreg-lo manualmente usando o comando modprobe sis, como root.

No Linux, todos os aplicativos, mesmo os grficos, podem ser chamados a partir de uma janela de terminal. O problema que, ao chamar algum aplicativo, o terminal ficar bloqueado at que o aplicativo seja finalizado, obrigando-lhe a abrir um para cada programa. Histrico: O terminal mantm um histrico dos ltimos comandos digitados.

Para repetir um comando recente, simplesmente pressione as setas para cima ou para baixo at encontr-lo. Para fazer uma busca, use o comando history grep comando , como em history grep cp para mostrar todas as entradas onde foi usado o comando cp.

Ponto e vrgula: Voc tambm pode executar uma fila de comandos de uma vez. Lembre-se de que no Linux o terminal distingue entre letras maisculas e minsculas.

Quando criar novos arquivos e pastas, prefira usar nomes em minsculas, assim voc evita confuso. Voc pode usar tambm o halt tambm como root para desligar. Outra peculiaridade o uso do boto central do mouse. Ele no tem muita serventia no Windows, mas no Linux ele permite copiar e colar entre aplicativos ou at mesmo entre aplicativos grficos e terminais abertos dentro da interface grfica. Basta selecionar o trecho de texto, a imagem ou o que quiser copiar em uma janela e clicar com o boto central na janela onde quiser colar a seleo.

Se voc no tiver um mouse de trs botes, pressione simultaneamente os dois botes. Entretanto, este modo padro tem algumas deficincias. Ele no funciona muito bem para copiar grandes quantidades de texto, e o texto a ser copiado precisa ficar selecionado durante a operao. Basicamente, voc consegue copiar o que puder ser visualizado na tela.

O KURUMIN.ISO BAIXAR

No funciona para copiar pginas de texto do Abiword para o OpenOffice, por exemplo. Pensando nisso, os desenvolvedores do KDE e do Gnome se preocuparam em incluir sistemas de copiar e colar com um funcionamento semelhante ao do Windows. Voc tem vrios slots que armazenam todas as ltimas operaes e pode colar qualquer uma das anteriores selecionando a desejada atravs do cone ao lado do relgio, de forma bem prtica.

Entendendo os diretrios O primeiro choque para quem est chegando agora a estrutura de diretrios do Linux, que no lembra em nada o que temos no Windows.

No Windows temos os arquivos do sistema concentrados nas pastas Windows e Arquivos de programas, e voc pode criar e organizar suas pastas da forma que quiser. No Linux basicamente o contrrio.

A primeira coisa com que voc precisa se habituar que no Linux os discos e parties no aparecem necessariamente como unidades diferentes, como o C:, D:, E: do Windows. Dentro deste diretrio temos no apenas todos arquivos e as parties de disco, mas tambm o CD-ROM, drive de disquete e outros dispositivos, formando a estrutura que voc v no gerenciador de arquivos. Geralmente isto soma de 5 a 7 MB, pouca coisa. Este de longe o diretrio com mais arquivos em qualquer distribuio Linux, pois aqui que ficam os executveis e bibliotecas de todos os principais programas.

A funo destas bibliotecas lembra um pouco a dos arquivos. As bibliotecas com extenso. Estes arquivos so pequenos, geralmente ocupam menos de 5 MB. Esta organizao visa facilitar a vida dos programadores, que podem acessar o hardware do micro simplesmente fazendo seus programas lerem e gravarem em arquivos, deixando que o Kernel se encarregue da parte complicada.

Os arquivos recebem o nome dos programas seguidos geralmente da extenso. Um pouco sobre redes Montar uma rede j foi complicado e caro.

Hoje em dia, as redes so algo onipresente, uma forma barata de trocar arquivos, compartilhar a conexo com a internet, compartilhar impressoras, CD-ROM e outros perifricos e assim por diante.

Montar uma rede domstica to simples e barato que cada vez mais raro ver PCs isolados. Mesmo no caso dos micros antigos, s abrir o gabinete e instalar uma placa PCI, que custa menos de 20 reais. Voc pode usar a rede para compartilhar a conexo, compartilhar arquivos e impressoras, jogar em rede, entre vrias outras coisas.

Voc pode usar um micro com o Kurumin como um pequeno servidor para a sua rede local de forma simples usando os cones mgicos, como veremos com mais detalhes adiante. Depois de ligar todos os micros, falta a parte mais importante, que configurar a rede.

As placas, cabos e o hub so apenas metade da rede. Eles permitem que os uns e zeros enviados por cada micro cheguem aos demais. Para que eles possam efetivamente se entender, necessrio que eles falem a mesma lngua. No existe problema para as mquinas com o Windows acessarem a internet atravs da conexo compartilhada no Linux, por exemplo.

Independentemente do sistema operacional usado, as informaes bsicas para que ele possa acessar a internet atravs da rede so: Endereo IP: Os endereos IP identificam cada micro na rede. A regra bsica que cada micro deve ter um endereo IP diferente e todos devem usar endereos dentro da mesma faixa.

O endereo IP dividido em duas partes. A parte inicial do endereo identifica a rede e os ltimos identificam o computador dentro da rede. Quando temos um endereo Quando algum diz uso a faixa Na verdade, os endereos IP so nmeros binrios, de 32 bits. Para facilitar a configurao e memorizao dos endereos, eles so quebrados em 4 nmeros de 8 bits cada um.

Os 8 bits permitem combinaes diferentes, por isso usamos 4 nmeros, de 0 a , para represent-los. Todos os endereos IP vlidos na internet possuem dono, seja alguma empresa ou alguma entidade certificadora que os fornece junto com novos links. Por isso no podemos utilizar nenhum deles a esmo. Quando voc se conecta na internet voc recebe um endereo IP vlido, emprestado pelo provedor de acesso, algo como, por exemplo, Quando quiser configurar uma rede local, voc deve usar um dos endereos reservados, endereos que no existem na internet e que por isso podemos utilizar vontade em nossas redes particulares.

O KURUMIN.ISO BAIXAR

Algumas das faixas reservadas de endereos so: Uma faixa de endereos das mais usadas a Se voc tiver 4 micros na rede, os endereos deles podem ser, por exemplo, Mscara de sub-rede: A mscara um componente importante do endereo IP. Ao contrrio do endereo IP, que formado por valores entre 0 e , a mscara de sub-rede formada por apenas dois valores: 0 e , como em Se voc est usando a faixa Voc poderia usar uma mscara diferente: Se voc tiver dois micros, Um dos micros ser o 1 conectado na rede Default Gateway gateway padro : Lembra que disse que quando voc se conecta internet atravs de um provedor de acesso qualquer, voc recebe apenas um endereo IP vlido?

Quando voc compartilha a conexo entre vrios micros, apenas o servidor que est compartilhando a conexo possui um endereo IP vlido, s ele existe na internet. Todos os demais acessam atravs dele. Dentro da sua rede local, o default gateway ou gateway padro justamente o micro da rede que tem a conexo, que os outros consultaro quando precisarem acessar qualquer coisa na internet. Por exemplo, se voc montar uma rede domstica com 4 PCs, usando os endereos IP Mas, mesmo assim, fora os endereos usados na sua rede interna, complicado sair decorando um monte de endereos diferentes.

O DNS domain name system permite usar nomes amigveis ao invs de endereos IP para acessar servidores, um recurso bsico que existe praticamente desde os primrdios da internet. Para tanto, o servidor DNS mantm uma tabela com todos os nomes fantasia, relacionados com os respectivos endereos IP. A maior dificuldade em manter um servidor DNS justamente manter esta tabela atualizada, pois o servio tem que ser feito manualmente.

Dentro da internet, temos vrias instituies que cuidam desta tarefa. Servidores DNS tambm so muito usados em intranets, para tornar os endereos mais amigveis e fceis de guardar. Faz parte da configurao da rede informar os endereos DNS do provedor ou qualquer outro servidor que voc tenha acesso , que para quem seu micro ir perguntar sempre que voc tentar acessar qualquer coisa usando um nome de domnio e no um endereo IP.

O jeito mais fcil de conseguir os endereos do provedor simplesmente ligar para o suporte e perguntar.

O ideal informar dois endereos; assim, se o primeiro estiver fora do ar, voc continua acessando atravs do segundo. Tambm funciona com um endereo s, mas voc perde a redundncia.

Exemplos de endereos de servidores DNS so: O assistente vai perguntando as configuraes da rede que vimos:. Um exemplo de configurao de rede completa para um dos micros da rede, que vai acessar a internet atravs do micro que est compartilhando a conexo seria: IP: Gateway: A configurao da internet feita da forma normal, de acordo com o tipo de conexo que voc usa, e a configurao da rede interna segue o padro que vimos at aqui. Respondendo Sim, o micro simplesmente pede socorro na rede e ajudado pelo servidor DHCP, que fornece para ele toda a configurao da rede, de forma automtica.

Voc gasta um pouco mais de tempo configurando o servidor DHCP, mas em compensao economiza na configurao dos micros. Configurando uma rede entre dois micros rapidamente Para ilustrar melhor como pode ser fcil configurar uma rede, vamos a um exemplo rpido de como configurar uma rede entre dois micros, sem precisar nem mesmo usar um hub.

Voc pode usar esta dica sempre que precisar de uma forma rpida para transferir alguns arquivos, jogar uma partida de Warcraft 3, compartilhar temporariamente a conexo do seu amigo com o seu notebook e assim por diante. A forma mais rpida de criar uma rede entre dois micros de forma rpida e barata usar um cabo cross-over. Os cabos de rede normais so chamados de cabos retos ou straight. Eles so chamados de retos simplesmente porque usam o mesmo padro nos dois lados do cabo.

Ou seja, o fio crimpado no primeiro pino do lado A vai ser crimpado tambm no primeiro pino do lado B e assim por diante. Os dois lados do cabo so iguais. Os cabos cruzados, ou cross-over, possuem a posio de dois dos pares trocadas em uma das pontas. Essa combinao permite que dois micros conversem diretamente, sem precisar de um hub.

Voc simplesmente liga o cabo e tem uma rede instantnea entre os dois. Voc pode baixar cabos em qualquer loja de informtica que se preze, mas se voc da poca em que homem eram homens e crimpavam seus prprios cabos, a pinagem de um cabo cross a seguinte:. Os cabos so encaixados nesta ordem, com a trava do conector virada para baixo, como no diagrama:.

Com os dois micros ligados, falta apenas configurar o IP em ambos para que eles comecem a conversar. J vimos rapidamente como configurar os endereos da rede no Kurumin. Vamos ver agora como faz-lo no outro sistema e em outras distribuies Linux. Configure os dois micros usando endereos IP diferentes, como O Gateway e o DNS so necessrios apenas para acessar a internet, no para fazer uma rede simples entre dois micros. No Linux mais simples, pois voc pode configurar o IP e ativar a rede, independentemente da distribuio usada, com um nico comando, como em: ifconfig eth0 O Agora voc s precisa ativar o segundo micro, configurando-o com um IP diferente, como em: ifconfig eth0 Ele vai pedir a senha da conta.

A partir da o gerenciador passa a mostrar os arquivos da outra mquina e voc pode transferir simplesmente arrastando-os de uma janela para a outra:. O SSH permite vrias outras coisas alm de transferir arquivos.

Veremos mais algumas dicas sobre ele ao longo do livro.

Se voc quiser um guia mais completo, pode consultar o captulo sobre acesso remoto do meu livro Redes e Servidores Linux. Redes wireless As redes wireless esto se popularizando rapidamente e substituindo as redes cabeadas em cada vez mais ambientes. Elas so mais caras, mais lentas e mais complicadas de configurar, mas em compensao so muito mais prticas, j que voc pode se conectar em qualquer ponto dentro da rea de cobertura extremamente prtico para quem usa um notebook ou um palmtop, por exemplo.

Alm disso, as redes wireless so a nica opo em casos nos quais no vivel usar cabos. Imagine que voc precise ligar dois escritrios situados em dois prdios vizinhos ou se, por qualquer motivo mesmo que por simples questo de esttica , no seja possvel usar cabos.

Em uma rede wireless, o hub substitudo pelo ponto de acesso access-point, em ingls.

Ele tem basicamente a mesma funo: retransmitir os pacotes de dados, de. Em geral os pontos de acesso possuem uma sada para serem conectados em um hub tradicional, permitindo que voc junte os micros da rede com fios com os que esto acessando atravs da rede wireless, formando uma nica rede.

Ao contrrio dos hubs, os pontos de acesso so dispositivos inteligentes, que podem ser configurados atravs de uma interface de administrao, que voc acessa usando o navegador. Voc se conecta em um endereo IP especfico que muda de aparelho para aparelho, mas pode ser encontrado facilmente no manual , loga-se usando uma senha padro e altera as configuraes e senhas! Existem trs padres diferentes de rede wireless em uso. O primeiro e mais comum o Em seguida temos os padres Entre os dois, o As placas Ele junta o melhor dos dois mundos, operando a 54 megabits, como no Para que a rede funcione a 54 megabits, necessrio que tanto o ponto de acesso, quanto todas as placas sejam Mas, alm da configurao dos endereos IP, mscara, gateway, etc.

A configurao da rede wireless feita em duas etapas. Uma vez conectado ao ponto de acesso, voc configura os endereos da rede, da mesma forma que em uma rede cabeada. Dois pontos de acesso, instalados na mesma rea, mas configurados com dois ESSIDs diferentes, formam duas redes separadas, permitindo que a sua rede no interfira com a do vizinho, por exemplo.

Mesmo que existam vrias redes na mesma sala, indicar o ESSID permite que voc se conecte rede correta. Em seguida temos o canal, que, novamente, permite que vrios pontos de acesso dentro da mesma rea trabalhem sem interferir entre si. Temos um total de Nos EUA, por exemplo, permitido usar apenas do 1 ao 11 e na Frana apenas do 10 ao Esta configurao de pas definida na configurao do ponto de acesso.

O ESSID serve mais como uma forma de permitir que vrias redes diferentes operem na mesma rea do que como uma configurao de segurana, pois muito fcil detectar redes disponveis e se conectar a elas. Embora o alcance normal de uma rede wireless, usando as antenas padro das placas e pontos de acesso normalmente no passe de 20 a 50 metros em ambientes fechados, ou de a em ambientes abertos, usando antenas maiores de alto ganho e conseguindo uma rota sem obstculos, possvel captar o sinal de muito longe, chegando a 2 ou at mesmo 5 KM, de acordo com a potncia do seu ponto de acesso.

Como praticamente impossvel impedir que outras pessoas captem o sinal da sua rede, a melhor soluo encriptar as informaes, de forma que ela no tenha utilidade fora do crculo autorizado a acessar a rede. Embora nenhum dos dois seja livre de falhas, elas so uma camada essencial de proteo, o que evita que sua rede seja um alvo fcil.

Nenhuma porta impossvel de arrombar, mas voc com certeza no gostaria de morar em uma casa sem portas. Tambm possvel usar caracteres ASCII incluindo acentuao e todo tipo de caracteres especiais ; neste caso as chaves tero respectivamente 5 e 13 caracteres.

No WPA voc define uma passphrase, uma senha longa, que pode conter letras, nmeros e caracteres especiais. A regra bsica que os micros precisam possuir a chave correta para se associarem ao ponto de acesso e acessarem a rede.

Em geral os pontos de acesso permitem que voc especifique vrias chaves, de forma que cada micro pode usar uma diferente. Acesso remoto Muitos dispositivos, como, por exemplo, modems ADSL, pequenos servidores de impresso e roteadores, possuem vrias opes de configurao; muitas vezes rodam o Linux ou outro sistema operacional completo, mas no possuem nem teclado, nem monitor.

Comentários dos leitores

Nestes casos toda a configurao feita remotamente, atravs de algum utilitrio de configurao. O mais comum o uso de alguma interface http, que voc acessa de qualquer micro da rede local usando o navegador, ou ento o uso do ssh ou telnet. Eu, por exemplo, uso um modem ADSL Parks , que pode ser configurado como roteador ou bridge, atravs de uma interface de administrao simples, que acesso via telnet, a partir de qualquer micro da rede. O telnet um protocolo primitivo que permite rodar comandos remotamente atravs de uma interface de modo texto.

Existem clientes telnet para vrios sistemas operacionais. O grande problema que o telnet no oferece nenhum tipo de segurana. Todas as informaes, incluindo as senhas, so transmitidas em texto puro, de forma legvel pela rede e so fceis de interceptar.

O SSH j mais evoludo. Ele utiliza um sistema de criptografia bastante seguro para proteger os dados. Algum poderia muito bem interceptar as informaes afinal, a internet uma rede pblica , mas os dados capturados no tero utilidade nenhuma. O SSH a opo mais usada para administrar servidores remotamente. Hoje em dia poucas empresas hospedam seus websites in house, ou seja, em servidores instalados dentro da prpria empresa. Quase sempre os servidores ficam hospedados em data centers, complexos que oferecem toda a estrutura necessria para que os servidores fiquem no ar de forma confivel, incluindo links redundantes se o link principal cai, existe um segundo de reserva , nobreaks de grande porte, geradores, refrigerao a temperatura ambiente mais baixa ajuda os componentes a trabalhar de forma mais estvel e assim por diante.

Isto significa que, apesar do servidor ser seu, voc no tem nenhum tipo de acesso fsico a ele. No pode usar o teclado ou mouse por exemplo, tudo precisa ser feito a distncia. No Linux, toda a configurao do sistema, instalao de novos programas e outras operaes , podem ser feitas a partir do modo texto, o que permite configurar o servidor e mant-lo atualizado remotamente, via SSH. Outro ponto interessante que apesar de ser nativo do Unix, existem clientes SSH tambm para Windows e outras plataformas, permitindo que o responsvel administre o servidor a partir de uma estao Windows, por exemplo.

A partir da, voc deve informar o login que voc usar para se conectar, seguido do IP da mquina, que pode estar tanto na rede local quanto na internet.

Se o seu amigo criou o login suporte para que voc acesse o micro dele remotamente e ajude a solucionar algum problema e o IP Embora o uso mais comum seja rodar comandos de modo texto, o ssh tambm permite rodar aplicativos grficos. Este recurso de rodar aplicativos grficos remotamente via SSH mais til dentro de uma rede local, pois consome muita banda, deixando as respostas lentas ao acessar via internet.

Entretanto, existem outras opes de acesso remoto mais otimizadas para o uso de aplicativos grficos via internet. A alternativa mais tradicional o VNC. Ele permite ver uma extenso do desktop da outra mquina, incluindo o KDE ou outra interface grfica.

Ele dividido em dois mdulos, um cliente e um servidor. O servidor VNC instalado na mquina que ser acessada remotamente, enquanto as que vo acessar precisam apenas do cliente, um programa pequeno que j vem pr-instalado na maioria das distribuies. Os dois esto disponveis tanto para Linux quanto para Windows, de forma que voc pode acessar um micro com o Windows a partir do Kurumin ou vice-versa.

O NX muito similar ao VNC, permitindo que voc tenha um desktop remoto da outra mquina, mas se diferencia por utilizar um protocolo muito mais eficiente, permitindo que voc acesse outras mquinas confortavelmente mesmo em um ADSL de k. Captulo 2: Instalando e solucionando problemas Um dos principais atrativos do Kurumin e de outros live-CDs o fato do sistema rodar diretamente a partir do CD-ROM, sem necessidade de alterar o que est instalado do HD, detectando o hardware da mquina no boot e dando-lhe um desktop funcional em poucos minutos.

Mas, ao contrrio do que pode parecer primeira vista, detectar todo o hardware de uma mquina atual e configurar o sistema para trabalhar sobre ele sem ficar perguntando, no uma tarefa nada fcil.

Algumas placas-me mal projetadas podem travar durante o processo de deteco do ACPI, SCSI, SATA ou RAID, pode ser que a placa de vdeo no tenha um driver especfico, ou que use um cdigo de identificao diferente do padro, pode ser que o mouse tenha vrias rodas de scroll ou outro recurso especial que no seja possvel detectar automaticamente e assim por diante.

Alm disso, o sistema simplesmente no tem como adivinhar que resoluo de tela e taxa de atualizao que voc prefere usar, por isso ele simplesmente seleciona uma configurao ideal, baseada nas configuraes do monitor.

O ACPI controla recursos relacionados com o gerenciamento de energia, incluindo opes para reduzir a freqncia de operao do. Antigamente, existiam os famosos conflitos de IRQ, onde dois perifricos tentavam usar o mesmo endereo, fazendo com que nenhum dos dois funcionasse corretamente.

Hoje em dia os conflitos so muito mais raros, pois o sistema pode atribuir e alterar os endereos de acordo com a necessidade. Muitos fabricantes fazem verdadeiras barbeiragens nas suas implementaes, criando placas que no seguem os padres. Para jogar a sujeira debaixo do tapete, fazem alguma gambiarra no sentido pejorativo nos drivers para Windows, de forma que o problema seja mascarado. Ao usar Linux, estes problemas de implementao aparecem, fazendo com que a placa de som ou rede no funcionam ou no sejam detectas pelo sistema, fazendo com que os botes que ativam o transmissor da placa wireless no funcionem problema muito comum nos notebooks da Acer e assim por diante.

Enfim, poderia fazer uma longa lista de tudo o que pode dar errado durante o boot. Mas a boa notcia que a grande maioria dos problemas pode ser resolvido usando opes de boot, tambm chamadas de cheatcodes. Opes de boot cheatcodes Logo no incio do boot voc ver uma tela grfica que apresenta algumas opes de boot. Estas opes permitem alterar o comportamento padro do sistema, fazendo com que ele d boot em placas problemticas ou que utilize a resoluo de vdeo de sua preferncia, entre outras configuraes, que podem ser usadas em casas onde o sistema de deteco no d conta do recado.

A nica mudana que neles, ao invs das opes comearem com kurumin, comeam com knoppix, kalango ou o nome da distro. Existem opes de boot para especificar a configurao do vdeo, para desabilitar a deteco de determinados componentes, opes para copiar a imagem do Kurumin para o HD e dar boot com o drive de CD livre, dar boot a partir de um arquivo ISO salvo no HD e at algumas opes especficas, que variam de uma distribuio para outra.

No canto inferior da tela aparece um prompt boot: para digitar as opes. Se voc apenas pressionar Enter, ou esperar 30 segundos, o sistema inicializa no modo default, tentando detectar tudo sozinho. As opes de boot permitem modificar o comportamento padro do sistema, desabilitando algum recurso que esteja fazendo o micro travar no boot, alterar a resoluo do vdeo e assim por diante.

No screenshot acima, estou usando como exemplo uma opo bem longa para configurar vdeo, especificando a resoluo, taxa de atualizao e o driver de vdeo e desabilitar o ACPI. Como voc pode ver, possvel combinar vrias opes, de acordo com a necessidade. Basta digitar a opo desejada e pressionar Enter. Os parmetros devem ser digitados exatamente como descritos a seguir, sempre em minsculas.

Como a tela de boot mostrada antes do carregamento do sistema, o teclado ainda estar com o layout americano padro. Todos estes parmetros so opcionais, eles foram desenvolvidos para serem usados em casos de problemas, quando deseja carregar o sistema a partir de uma imagem no HD ou quando voc precisa definir alguma configurao em especial. Opes de vdeo As opes mais usadas so as referentes resoluo e taxa de atualizao do monitor.

Por default, o Kurumin tenta detectar automaticamente a sua placa de vdeo e utiliza uma resoluo compatvel com seu monitor, detectada via DDC. A configurao do monitor composta por trs parmetros: 1- O driver de vdeo. O driver de vdeo o que permite que o sistema se comunique com a placa de vdeo e, conseqentemente, envie as imagens para o monitor. Cada placa de vdeo tem um conjunto prprio de recursos e se comunica em uma linguagem diferente. O driver de vdeo o intrprete que permite que o sistema converse com a sua.

O software responsvel por mostrar imagens na tela o servidor grfico o X. Nas verses atuais do X. O driver sis, por exemplo, d suporte a todas as placas de vdeo da SiS; o driver nv d suporte a todas as placas da nVidia e assim por diante.

Temos ainda o vesa, um. Ele pode ser usado, por exemplo, quando voc tiver alguma placa de vdeo muito recente, que ainda no seja suportada.

A resoluo determina a quantidade de pontos mostrados na tela. Os monitores sempre suportam vrias resolues diferentes, permitindo que voc use a que achar mais confortvel. Um monitor de 17, por exemplo, geralmente suportar de x a at x O que muda ao usar resolues diferentes a taxa de atualizao, que determina quantas vezes por segundo a imagem atualizada no monitor. O grande problema que os monitores CRT utilizam clulas de fsforo para formar a imagem.

Estas clulas conservam seu brilho por apenas uma frao de segundo e por isso precisam ser realimentadas constantemente.

Em um monitor CRT o ideal usar uma taxa de atualizao de 75 Hz 75 atualizaes por segundo ou mais. Usando menos que isso teremos um fenmeno chamado flicker, onde a tela fica instvel, piscando, parecendo tremer, como se a tela do monitor fosse uma gelatina.

Outra coisa que ajuda e muito a diminuir o flicker diminuir o brilho do monitor. O ideal usar a tela o mais escura possvel, dentro do que for confortvel, naturalmente. Uma dica deixar o controle de brilho no mnimo e ajustar apenas pelo contraste. Quanto maior for a taxa de atualizao e quanto menor for a claridade da imagem menor ser o flicker e menor ser o cansao dos olhos. As taxas de atualizao mximas dependem tanto da placa de vdeo quanto do monitor. Quanto mais baixa for a resoluo de imagem escolhida, maior ser a taxa de atualizao suportada pelo monitor.

A maioria dos monitores de 15 suportam x com 85 Hz de taxa de atualizao ou x a 70 Hz. Os monitores de 17 geralmente suportam x a 85 Hz, enquanto os monitores mais caros, como os Flatron e Trinitron, de 17 CRT , chegam a suportar x com 60 Hz.

A placas de vdeo tambm podem limitar a resoluo mxima. Uma placa antiga, uma Trident , por exemplo, no conseguir trabalhar com mais de 70 Hz de refresh a x independentemente do monitor, uma limitao da prpria placa de vdeo.

Muitas placas onboard so capazes de exibir x com 85 Hz, mas apenas 70 Hz se voc usar x Geralmente, apenas as placas de vdeo mais caras so capazes de trabalhar a x com 75 Hz de refresh ou mais, uma possibilidade que suportada por alguns monitores de Tudo o que falei at agora sobre taxa de atualizao e flicker se aplica apenas aos monitores de CRT os grandes que ainda usam tubo de imagem.

Nos monitores de LCD, cada ponto na tela como uma lmpada acesa, eles no possuem problemas com flicker, a imagem slida, independentemente da taxa de atualizao usada.

Em geral, os monitores de LCD suportam vrias taxas de atualizao; o mais comum de 56 a at 75 Hz. Isto feito para permitir que funcionem em conjunto com qualquer placa de vdeo e em vrias configuraes, mas neste caso a taxa de atualizao no afeta a qualidade da imagem. Se voc fica muito tempo na frente do micro ou, principalmente, se trabalha com um, os monitores de LCD so a opo ideal.

Eles so mais caros, mas se voc dividir a diferena de preo por 36 meses a vida til mdia de um monitor vai ver que o custo mensal no to alto assim. Eles tambm consomem menos energia 35 watts em mdia, contra watts ou mais de um monitor CRT o que economiza alguns trocados todo ms na conta de luz, ajudando a amortizar a diferena de preo. Mas, voltando configurao do Kurumin, as opes de boot relacionadas com o vdeo permitem especificar a configurao que deseja usar e resolver os casos em que o sistema no consegue abrir o modo grfico ou quando precisar fazer um ajuste fino na configurao.

Basta digitar a opo desejada na tela de boot:.

Byteria: Kurumin Linux ()

Voc pode especificar qualquer resoluo suportada pelo seu monitor. Por exemplo, muitos notebooks usam telas wide, com resoluo de x ou x, por exemplo.

Em muitos deles, o sistema detecta a resoluo incorretamente e acaba abrindo sempre a x Ela necessria em alguns monitores de LCD que no suportam taxas de atualizao mais altas e em vrios monitores antigos.

Voc pode verificar qual a configurao usada no Windows ou no sistema atual e especificar manualmente aqui. Kurumin 6. If my memory is correct, the first generally available release of Knoppix on a Live CD was made sometime in late I don't think it is exaggerating to say that Knoppix set the standard for Live Linux distributions when it was released, or that the Linux world as a whole learned a lot about how Live distributions should be done, and how powerful, versatile and useful they could be [ Hands-on with Knoppix Linux 7.

O Knoppix acabou se tornando um marco dentro da história do Linux por dois motivos. Carlos E. O entusiasmo dos internautas foi imediato, — e daí por diante, só aumentou, — cobrando e incentivando novos desenvolvimentos do Kurumin. Ou seja, enquanto o hardware antigo era reconhecido pelo Kurumin 7. Essa era uma das tarefas que ainda dependiam do Windows.

Tutoriais no Live Kurumin 7. A partir do Kurumin 5. Opções de Terminais no Kurumin 7. Legendado no Gimp 2. Chat em texto. Webcam e vídeo. Outros compartilhadores. Comunicadores diversos. Emoticons para Messenger. Messengers diversos.

Base de Conhecimento

Miranda e Trillian. MSN Messenger. Winks para Messenger. Clientes de email. Diversos para email. Email Marketing. Ferramentas Anti-spam. Notificadores de email. Bloqueadores de Pop-ups. Ferramentas de busca. Ferramentas diversas para navegadores. Gerenciadores de cookies e cache.

Navegadores Offline. Plug-ins para navegadores. Clientes FTP. Gerenciadores de download. Telnet e SSH. Analisadores de logs. Servidores de Email.

Servidores FTP. Servidores Proxy. Servidores Variados.

KURUMIN.ISO BAIXAR O

Servidores Web. Celulares - Diversos. Celulares - Mensagens SMS. Telefonia fixa. Voz sobre IP. Adicionais para Players. Editores de tag. Plug-ins para players. Plug-ins para Winamp. Skins para Winamp. Visualizações para Winamp. Mixers e softwares para DJs. Ferramentas diversas para som. Captura de vídeo. Ferramentas para vídeo. Players multimídia e WebTV. Captura de vídeo por hardware. Gravadores de tela em vídeo Screen Recorders.

Youtube e similares.

KURUMIN.ISO BAIXAR O

Conversores de vídeo. DVD Rippers. Encoders, decoders e Codecs de vídeo. Joiners e splitters de vídeo. Reparadores de vídeo. Modelagem 3D. Captura de telas. Catalogadores de imagens. Conversores de imagens. Editores de GIFs animados. Editores de imagens.

Otimizadores de imagens. Conversores de arquivos 3D. Modeladores 3D. Plug-ins para modeladores 3D. Contabilidade e Finanças. Softwares governamentais. Controle de estoque. Gerenciamento de projetos. Agências de veículos. Assistência técnica e oficina. Engenheiros e Arquitetos. Hotéis, pensões e similares. Instituições de ensino. Prestadores de serviços. Provedores, cyber-cafés e similares. Restaurantes, lanchonetes e similares.

Telemensagens, cestas e tele-entregas. Templos e Igrejas. Factoring e Cheques. Gerenciadores de finanças.

Mercado de Ações. Conversores de documentos. Gerenciadores de documentos. Adicionais para o Office. Adicionais para Outlook. Suites Office. Código de barras. Ferramentas para FAX. Impostos e contribuições.

Sistema Operacional. Backup e cópia. Busca de arquivos.