3deko.info

Olá, meu nome é Pablo e criei este blog para ajudar os estudantes portugueses a estudar. Carrego milhares de arquivos úteis toda semana

BAIXAR LIVRO FALLEN TORMENTA GRATIS


Tormenta - Inferno na Terra. É assim que Luce se sente ao ficar longe de seu namorado e anjo caído, Daniel. Levou uma eternidade para eles se encontrarem . 4 de mar de Baixar Livro Tormenta - Fallen Vol 2 - Lauren Kate em Pdf, Livros Grátis, Livros Em Pdf, Resenhas De Livros, Livros De Romance, Amo. 15 de jul de Baixar Livro Tormenta - Fallen Vol 2 - Lauren Kate em Pdf, mobi e epub. Finale (Hush, Hush Saga #4) X Livros Grátis, Livros Em Pdf.

Nome: livro fallen tormenta gratis
Formato:ZIP-Arquivar (Livro)
Sistemas operacionais: Android. iOS. MacOS. Windows XP/7/10.
Licença:Somente uso pessoal
Tamanho do arquivo:46.28 MB

GRATIS BAIXAR LIVRO FALLEN TORMENTA

Acreditam que tem um A no exame de história que acabo de lhes dar. Ficaremos juntas o tempo todo! Uma história envolvente repleta de mitologia, romance e suspense — em Fallen o amor nunca morre. Era uma vez no outono. Mas se ele contasse a verdade a seus pais, poderiam pensar que ela estava louca. A corrente dividia um campo verde vibrante em um lado de um redemoinho de algas de cor roxo brilhante e negro pelo outro. Privacidade e cookies: Esse site utiliza cookies.

4 de mar de Baixar Livro Tormenta - Fallen Vol 2 - Lauren Kate em Pdf, Livros Grátis, Livros Em Pdf, Resenhas De Livros, Livros De Romance, Amo. 15 de jul de Baixar Livro Tormenta - Fallen Vol 2 - Lauren Kate em Pdf, mobi e epub. Finale (Hush, Hush Saga #4) X Livros Grátis, Livros Em Pdf. Livro 2 - Serie Fallen - Tormenta - Lauren Kate - documento [*.pdf] Torment Fallen II Lauren Kate Sinopse: Inferno na terra. É assim que Luce. Tormenta é a sequência de Fallen, que rapidamente conquistou seu Sinopse: No quarto e último aguardado livro da série Fallen, Luce e. Compre Tormenta - Fallen - vol. 2 de Lauren Kate na 3deko.info Confira também os eBooks mais vendidos, lançamentos e livros digitais Leia de graça .

Ficaremos juntas o tempo todo! Até porque, parecem boas pessoas. Tinha que seguir lembrando, isso era só temporariamente. As três caminharam pelas hortênsias que rodeava o espaço para tomar café.

Como havia reduzido centenas de metros ao mar brilhante? As ondas passavam até o pequeno espaço da praia, até o pé do penhasco. Uma cabine A impressionante, de dois pisos, estava ao final da rota.

Havia sido construída em meio a pinheiros sombrios. Tanto o telhado triangular e o amplo gramado estavam cobertos por agulhas caídas. Algo que Frank Lloyd Wright podia ter desenhado.

Parecia mais uma casa de férias que uma escola. Junto a ela, Dawn gritou e apertou o pulso de Luce. Tinha um rosto fino, com uns óculos retangulares elegantes e uma cabeça com espesso cabelo.

AKA, S. Também conhecido como o Zorro Prateado, um de nossos professores. E os chamam por seu primeiro nome? Quem ensina o quê? Como o yin e o yang, você sabe, de modo que nenhum dos alunos se Todo mundo começava a vaguear pelas portas de cristal. Seria uma espécie de Vamos, temos que ir. Seguindo o fluxo dos garotos, Luce entrou na sala. Era amplo e tinha três bandas rasas, com mesas de trabalho que conduziam um par de mesas largas.

A maior parte das luzes era graças as clarabóias. Perguntava-se se Daniel estava pensando nela. Se esquecia de como era o perdia? Luce escolheu um lugar entre Jasmine e um garoto lindo com um jeans com cortes, um gorro dos Dodgers e uma camisa azul marinho. Umas poucas garotas estavam agrupadas próximo a porta do banheiro. Viu uma delas de cabelo crespo e óculos roxos xadrez. Quando Luce a viu de perfil, quase cai da cadeira.

Mas quando a garota se virou para Luce, notou que seu rosto era mais quadrado e sua roupa mais ajustada, como seu sorriso mais forte. Luce podia sentir o olhar sincero das outras garotas. Francesca se sentou em uma das mesas e cruzou suas pernas com um de seus sapatos de salto alto roçando o solo de madeira. Ele lembrava Cam, o enganosamente encantador que poderia ser um demônio.

Mas nada disso aconteceu, e os outros estavam com os olhos baixos. Steven sorriu mostrando seus dentes brilhantes. Na verdade, eles davam volta em seus acentos para se concentrarem.

Ela se encolheu em sua cadeira, desejando ser uma garota normal em uma escolha de Thunderbolt, Georgia. Mas sua ansiosa mente sempre caia até chegar ao mesmo ponto de sempre. Como ser normal tendo a Daniel?

Era impossível. É uma praga. Steven riu. Entregando uma folha para cada estudante. Luce esperava que esse coro de gemidos no geral fosse evocado por adolescentes.

TORMENTA GRATIS LIVRO FALLEN BAIXAR

Luce olhou o papel. Cada caixa tinha uma frase. O objetivo era ir ao redor da sala e fazer um partido com um aluno diferente com cada frase. Sobretudo se sentiu aliviada. Luce sentiria-se mais à vontade entre os alunos com bolsa de estudo.

Beaker Brandy nem se quer sabia que havia se livrado disso. Luce seguiu o resto dos estudantes, embora caminhassem até a grade. Jasmine se inclinou sobre o ombro de Luce, apontando para um ponto verde sobre uma das caixas. Luce assentiu com a cabeça como se entendesse o que significava e anotou o nome de Jasmine.

Ela podia levitar? Ela tinha experiência em chamar os Anunciadores. As sombras. Daniel havia dito o nome próprio para eles na noite passada na Sword and Cross. Luce tinha algo de experiência. Ele fazia uma pistola com os dedos e estalou a língua.

Havia mais de dezoito idiomas e tinha vislumbrado uma vida passada. Luce se perdeu olhando a folha frustrada de todas as vidas passadas e quanto estava limitada.

Ela havia subestimado Shelby. De pé no lugar de Shelby estava o garoto que havia sentado ao seu lado. Havia algo nele, algo na maneira como mastigava, inclusive sua caneta, seu olhar era Ele moveu a cabeça de um lado a outro e escreveu seu nome no quadro.

Miles Ficher. Alguém como ela. Aonde vai? Assustou a meu pai uns dez minutos, mas logo vacilou. Ele corou, apenas um vislumbre rosa em suas bochechas.

Qual é sua história? Luce riu, um dos primeiros risos que havia tido em dias. Miles piscou os olhos com bom humor. É sua companheira de quarto? Luce se pegou boiando, algo normal, entre os mortais, som para os ouvidos. Miles sorriu e se foi. Achava ter perdido Daniel. Onde ele estava? Muito distante. O incrível abraço de suas asas. Ela se sentia incrivelmente fria sem ele, inclusive sob a luz da Califórnia.

LIVRO FALLEN GRATIS BAIXAR TORMENTA

Mas estava ali por ele. Havia entrado nessa escola de anjos por ele. De um modo estranho, se sentia bem em estar conectada com Daniel. Até que chegou ela, era tudo que tinha para se agarrar. Ele vestia uma peculiar camiseta amarela com o logotipo da Sunkist, um gorro de beisebol caindo sobre os seus olhos azuis, chinelos e um jeans desgastado. A ser um monstro anônimo, me acostumei. Mas um monstro notório Quando se sente assim. Mas é um rumor.

É como um ato de equilíbrio celestial. De novo estava essa palavra. Mas balancear-se em que? Isso só podia se aplicar aos garotos que eram Nephilim. Se vocês dois realmente estiveram nas nuvens? Todos os demais, isso é. É espetacular. Luce entendeu porque Daniel e o Sr. Cole tinham proibido de abordar Callie e seus pais.

Mas Daniel e o Sr. Cole eram quem haviam matriculado-a na Shoreline. Eles eram quem haviam dito que ela estaria bem aqui. Mas, basicamente, Daniel é um anjo importante. Se sentiu nervosa. Tudo isso começou a irradiar dela. Tudo, desde seu primeiro dia na Swor and Cross, até como Ariane e Gabbe cuidaram dela, até como Molly e Cam brincaram com ela, o dilacerante sentimento de ver uma fotografia de si mesma em uma vida anterior. A morte de Penn e como isso a devastou.

A batalha surrealista no cemitério. Luce excluiu alguns detalhes de Daniel, momentos íntimos que haviam compartilhados juntos E, com esperança, tinha dissipado o mito de intrigas, pelo menos a uma pessoa. Afinal, ela se sentiu mais leve. Me sinto muito bem em dizer isso.

É mais real agora que falo sobre isso com alguém mais. E Nephilim como você. Miles estava assentindo e concordando com Luce o tempo todo em que ela lhe contava a história, mas agora sacudiu sua cabeça. Luce deu uma olhada ao redor do terraço.

Pela primeira vez, se deu conta da clara linha divisória das mesas dos garotos Nephilim do resto dos alunos. Tinha Shelby, por exemplo, que se sentava só, combatendo o feroz vento sobre o papel que estava lendo. Depois do almoço, as aulas foram dadas no prédio principal, uma estrutura arquitetônica bem menos importante, onde os assuntos mais tradicionais foram ensinados.

Biologia, geometria, história européia. Gostaria de ficar todos os dias com Connor ou Eddie G. Ou com qualquer dos Nephilim para jogar futebol. Mas, falando sério, você acredita que algum deles poderia ter feito o que fez, e sobreviver para contar? Nada disso era justo.

Mas as primeiras coisas que estava falando? Nenhuma das lições daqui realmente falam sobre isso. Falando disso Quer fazer isso de novo alguma vez? Mas estava distraída com algo que ele havia dito. A batalha de Daniel e Cam? Ou uma batalha com os antepassados da senhorita Sophia?

Sem falar dos Nephilim que estava se preparando para isso. Onde ficaria Luce? No segundo dia de Luce em Shoreline, Francesca estava usando saltos de outro gladiador de três polegadas e um moderno vestido cor de abóbora.

Tinha um arco solto em seu pescoço que combinava, quase exatamente, com o laço laranja que Steven tinha posto em sua camisa de marfim da Oxford e jaqueta esporta azul marinha. Apesar de que nunca os havia visto realmente, quando estavam juntos, que era quase sempre, o magnetismo entre eles praticamente rompia as paredes. Mas supõe que tinha algo a ver com seus poderes de anjo caído, mas também tinha a ver com a forma especial com que estavam conectados.

A maioria dos estudantes haviam sentado em suas cadeiras. A medida que convocava, uma parte de uma profunda sombra negra apareceu entre a sombra de uma das sequóias, logo após a janela. Ela passou pela grama, depois tomou a substância e a lançou fora da sala pela janela aberta. Steven manipulava a sombra, forçando os braços, de forma desordenada, de forma amorfa em um campo estreito, negro, do tamanho de uma toranja.

Sabem o que podem fazer? Fofocas, pensou Luce, lembrando do que Daniel lhe havia dito na noite da batalha. Entretanto, era muito nova para sentir-se à vontade e dizer a resposta em voz alta, mas nenhum dos outros estudantes parecia saber. Mas inofensivos? A sombra se alargou e se estirou como um globo, explorando-se. Fez um som denso, borbulhou quando seu negrume se distorceu, mostrando as cores mais vivas que Luce jamais tinha visto.

Logo pararam. O enredo de cores separadas se estabeleceu finalmente em uma lona de formas distintas. Estavam buscando uma cidade. Uma cidade antiga com paredes de pedra As pessoas acurraladas pelas chamas, suas bocas abertas, levantando os braços ao céu. E em todas as partes, uma chuva de faíscas brilhantes e troços da queima do fogo, uma chuva de luz mortal aterrissava por todas as partes e incendiava tudo que tocava.

Outros estudantes ao redor dela estavam esquivando suas cabeças, como se estivessem tentando obstruir algum gemido, alguém gritando, o que para Luce era indistinguível. Ela sabia que estavam olhando: Sodoma e Gomorra, duas cidades bíblicas destruídas por Deus. Em seguida, como apagando um interruptor de luz, Steven e Francesca estalaram seus dedos e a imagem desapareceu.

Como haviam feito isso? Ele e Franscesca compartilharam um olhar preocupado quando olharam ao redor da classe.

Dawn estava lamentando em sua cadeira. Como pode mudar as coisas para melhor, no entanto, cada um de vocês decide definir isso. Mesmo às vezes em que caio na propaganda. Elas podem ter informações muito valiosas. Algum dia. Luce compartilhou um olhar com Miles. Lhe sorriu com os olhos bem abertos, como se estivesse aliviado por escutar isso.

Sua voz tinha o efeito do aloés em uma queimadura de sol. Mas ver milênios antes? Ao redor de Luce, os estudantes se levantaram lentamente de suas carteiras. Se viam aturdidos, esgotados. Colocou seu casaco ao redor de seus ombros e seguiu com Miles para fora da sala de aula. Fico feliz de que nos deixem sair mais cedo. Sinto que necessito dormir. Irei dormir agora. Era estranho ver o campus vazio, com todos os outros garotos em Shoreline ainda na classe, no edifício principal.

Um a um, os Nephilim mostraram o caminho e se dirigiram direto para a cama. Excepto por Luce. Desejou, de novo, que Daniel estivesse ali. Frente a Luce estavam as escadas que conduziam ao seu dormitório. Entrou no bosque. Arrepios se davam em suas pernas nuas, a medida que entrava no sombreado bosque.

Estava por entrar num território desconhecido. Um território proibido. Ela ia convocar uma Anunciadora. Ela tinha feito coisas com eles antes. A primeira vez foi quando beliscou um numa aula para evitar que adentrasse em seu bolso.

Também, essa vez, ela havia afastado uma de Penn. Pobre Penn. Fechou seus olhos. Viu Penn apoiada contra a parede. Seu peito banhado em sangue. Sua amiga caída. Pra essa noite, era demasiadamente doloroso e nunca levava Luce a nenhuma parte. Tudo que podia fazer agora era olhar adiante. Teve que lutar contra o frio medo arranhando suas entranhas. Uma forma familiar negra e escurecida se espreitava ao lado da verdadeira sombra da sequóia a somente dez metros a sua frente.

Luce tratou de se acalmar. Era o momento de fazer um movimento. Ela bem que poderia estar aqui,congelada para sempre, ou acovardar-se e ir para a residência dos estudantes, o Ela a arrastou para cima e a agarrou com força, contra seu peito, surpreendida com seu peso, pelo frio e a umidade que tinha.

Tormenta - Fallen - PDF/EPUB - Lauren Kate - etonisevi

Como uma toalha molhada. Seus braços tremeram.

Que fazer agora com isso? A imagem das cidades queimando relampejou em sua mente. Luce se perguntou se poderia suportar ver essa mensagem por sua conta. Se ela também poderia encontrar uma maneira de desbloquear seus segredos.

Como funcionavam essas coisas? Em algo como uma tela que havia visto seus professores fazerem. Era o celular em sua mochila. Até o momento, havia esquecido que o Sr. De modo que quando Luce se dirigia a eles, podia mentir regularmente. Ninguém, além do Sr. E agora o telefone havia tirado de Luce seu verdadeiro primeiro progresso com uma sombra. Ela o pegou e o abriu. Uma mensagem de texto que o Sr. Cole acabara de lhe enviar: chamei seus pais.

Acreditam que tem um A no exame de história que acabo de lhes dar. Luce colocou o telefone em sua mochila e começou a andar pelo denso manto de agulhas roxas que havia ao redor do bosque, até seu dormitório.

A mensagem de texto fez-se perguntar sobre o resto dos garotos da Sword and Cross. E se é assim, pra quem ela estava enviando aviões de papel durante a aula? Ou ambas haviam se mudado desde que Luce e Daniel haviam ido?

Randy acreditou na história de que os pais de Luce haviam feito sua transferência? Luce suspirou. Mas uma chamada telefônica? Cole deve estar fora de si, dizendo a ela que os chamou e mentiu. Mas se ele contasse a verdade a seus pais, poderiam pensar que ela estava louca.

E se me colocasse em contato com eles, saberiam que algo aconteceu. Ela poderia lhes enviar uma mensagem. Seria ganhar alguns dias antes que tivesse que ligar. Lhes enviaria uma mensagem esta noite. Saiu do bosque. Era de noite. Quanto tempo havia estado ali com a sombra?

Olhou para seu relógio. Eram oito e meia. Havia perdido o almoço. E suas aulas da tarde. E o jantar. Estava cansada, com frio e faminta. Depois de três voltas incorretas a residência dos estudantes, parecia um labirinto, Luce finalmente encontrou sua porta.

Silenciosamente, esperando Shelby estivesse onde quer que fosse quando desaparecia nas noites, Luce deslizou a chave enorme e ultrapassada na fechadura e girou a maçaneta.

As luzes estavam apagadas, mas o fogo queimava na lareira. Quando Luce entrou, Shelby abriu um olho só. Olhando-a muito chateada. Durante pouco tempo, Shelby só fez isso. Só queria escrever uma linha. A vida na Sword and Cross é boa. Ainda vou bem em todas as minhas aulas Se perguntava quando esse tempo chuvoso deixaria de Era uma falsidade horrível de uma filha, uma mentirosa para uma amiga.

E o que estava pensando? Estes foram mais sutis, os e-mails eram dignos de uma bandeira vermelha. Eles só iam assustar as pessoas. Seu estômago rosnou. Pela segunda vez, mais alto. Shelby limpou a garganta. Luce deu a volta em sua cadeira para ficar de frente com a garota. Só para vê-la lhe enviando um olhar reprovador. Por Deus. Luce queria abrir-se com alguém, e Shelby estava, bem, ali.

É duro estar distante. Problemas de pai? Quase certo. Havia um pequeno espelho oval com um marco de madeira ornamentada junto ao toalete através do quarto. Ela havia cortado seu cabelo depois do que aconteceu com Trevor, mas isso era diferente. A maior parte dele havia sido queimado, de todo modo. E quando havia chegado na Sword and Cross, havia cortado o cabelo de Ariane.

Luce passou os dedos por seu curto e negro cabelo. Que estaria pensando Daniel?

Contos & Crônicas

Mas se ele queria que ela fosse feliz aqui até que pudessem voltar a estar juntos de novo, tinha que deixar de lado o que havia acontecido na Sword and Cross.

Deu a volta para ficar em frente a Shelby. Apesar de que Shelby havia atuado bem sobre o novo estilo de Luce na privacidade de seu quarto na noite anterior. Miles foi o primeiro a vê-la, e lhe dado uma boa olhada.

Agora, estando só ante o espelho do banheiro do edifício principal do colégio, Luce olhou seu reflexo e pensou nos olhos muito aberto de Dawn. Mas Dawn era mais baixa que ela. Tinha cores brilhantes seis dias na semana.

E era da maneira mais alegre que ela jamais poderia ser. Luce a reconheceu da aula de história européia. Amy algo. Uma coisa era falar dele com seus amigos de Shoreline, mas nem se quer havia falado com essa garota antes.

GRATIS BAIXAR LIVRO FALLEN TORMENTA

E Daniel. Que pensaria Daniel? Se realmente queria um novo começo, teria que fazer um, mas como? Cole e Daniel. E ambos estavam muito distantes. Sozinha no bosque com a sombra. Nada disso havia acontecido. Foi frustante e regressivo. O escritório de Francesca estava no anexo do segundo piso e ela havia dito a classe para sentirem-se livres de procurarem-na a qualquer momento. O prédio era notavelmente diferente sem os outros estudantes para dar-lhe calor.

Qualquer ruído que Luce fazia, parecia fazer eco nas inclinadas vigas de madeira. Podia ver a luz de uma lâmpada no patamar de um piso e cheirar o aroma do café que estava sendo feito. Parte de Luce queria sentir algo de sua professora por fora, saber se ela poderia ser alguém a quem Luce recorrer quando, em dias como hoje, começasse a sentir que fosse ter um colapso. Ela chegou em cima das escadas e se encontrou em um longo corredor, de entrada aberta. A sua esquerda, mais além da grade de madeira, olhou para baixo, ao escuro vazio de salas no segundo andar.

A sua direita, havia uma fileira de pesadas portas de madeira com traves de janela sobre eles. Só uma das portas estava entreaberta, a terceira começando da direita, com luz emanando de dentro na bonita janela policromada. Acreditou ter escutado uma voz masculina no interior. Estava a ponto de bater quando tom agudo de uma mulher a fez congelar-se. Você viu o que fez aos garotos. Uma pausa.

Luce avançou um pouco ao longo do tapete persa no corredor. Idealizamos um bom plano de trabalho. Nossos estudantes superam qualquer outro programa de Nephilim no mundo. Tem feito tudo isso. Tens direito de ter orgulho. Luce achou que soava familiar. Mas quem era? Uma pausa, e logo algo que soava com uma gaveta se abrindo, em seguida um grito de assombro, logo um grito afogado.

Luce queria estar do outro lado da parede, para ver o que eles podiam ver. Daniel sabe. O que sugere que devamos fazer nesse meio tempo? O escritório estava em silêncio. Se eu eu fosse você? Aumentaria as coisas por aqui. Fim dos tempos. Era isso que Ariane tinha dito que aconteceria se Cam e seu exército ganhassem naquela noite na Sword and Cross.

A menos que ali tivesse sido outra batalha. Se abaixou debaixo de uma cornija decorativa de madeira coberta de telhas entre as prateleiras e se apertou em um espaço na parede. A princípio, só podia ver seus pés.

Botas marrons de couro européia. Logo um par de jeans escuro aparecem a vista, embora se curvasse ao redor da trilha até o segundo andar do prédio.

E, finalmente, o perfeitamente reconhecível cabelo dreadlocked preto e dourado. Roland Sparks estava de volta em Shoreline. Ela podia estar em seu melhor comportamento nervoso frente a Francesca e Steven, quem era desmotivadoramente bonitos e poderosos e maduros e Além do mais, ele era o mais próximo de Daniel do que ela havia estado em dias.

Ele se deteve onde o caminho terminava rochas íngremes e acidentadas. Luce se surpreendeu ao sentir um frio no estômago quando, muito lentamente, começou a dar a volta. Um corte difícil para tempos difíceis. Parece um lindo lugar. Uma mochila de tecido estava pendurada num seus ombros com algo longo e estreito e de prata saindo dela. Seguindo seus olhos, Roland mudou a bolsa para seu outro ombro e apertou a aba superior com um nó.

Por quê? Luce ia perguntar pelos demais, Ariane e Gabbe. Inclusive Molly. Se alguém havia notado ou se importado que ela tivesse ido. A cara de Roland mudou de repente, endurecida em algo mais velho, sem preocupações.

Eles nunca foram realmente amigos, mas ele era uma lembrança de seu passado Olhando para baixo, pôde ver um conjunto robusto de escadas escavadas na rocha, começando debaixo de onde estavam sentados e conduzindo todo o caminho até a praia.

Só estou aqui porque O meu me traz a Shoreline. O seu é que tem estado indo até os bosques. Ela começou a protestar, mas ele a deteve, o olhar ainda mais crítico em seus olhos. É frígida. Tem estado nela? Sei que gosta de nadar. Ela sacudiu sua cabeça. Logo ao escurecer. Era quase onze da noite e Shoreline estava extremamente escura e em silêncio, exceto pelo pio de uma coruja. Uma saliente lua laranja estava baixa no céu, coberta por um véu de neblina.

Para os outros dois, os terrenos, que pareciam bem exuberantes e bem cuidados a luz do dia, eram agora armadilhas com pinheiros caídos, samambaias de raízes grossas e o dorso dos pés de Shelby. De volta em seu próprio quarto, Shelby havia se emaranhado em algum tipo de pose de ioga tântrica que doía em Luce só de olhar. Miles perguntou a Luce se queria ir tomar sorvete.

Em seguida, quando estavam ao pé da íngreme escada, dobraram ao redor de uma curva nas rochas e se congelaram quando as cinzas de fogo laranja silvestre finalmente chegou aos seus olhos. Devia haver uma centena de pessoas reunidas na praia. No outro extremo da festa, estava a mesmíssima fogueira, e quando Luce se pôs na ponta do pés, reconheceu a muitos garotos de Shoreline, sentados ao redor do fogo, com a esperança de vencer o frio.

Todo mundo segurando uma vara dentro das chamas, competindo pelo melhor lugar para assar seus cachorros-quentes e marshmallows, suas cadeiras de ferro fundida decadente.

Era impossível adivinhar como todos sabiam sobre isso, mas estava claro que estavam passando um bom tempo. E no meio de tudo Roland. Havia mudado sua camisa de botões e suas caras botas de couro e estava vestido, como todo mundo ali, com uma camiseta com capuz e jeans ralado.

Dawn e Jasmine se encontravam entre os ouvintes cativos, seus rostos se iluminaram ao fogo, reluzindo bonitas e vivas. Luce estava observando Roland, perguntando-se que história estava contanto. E, logo depois, Penn que estava nervosa quando chegou pela primeira vez na festa, mas terminou passando-a melhor do que ninguém. E Daniel, que apenas falava com Luce naquele momento. Isso é realmente algo, Roland. Pensou na quente conversa que havia escutado no escritório do professor.

Como a voz de Francesca havia soado. A linha entre o bem e o mal se sentia incrivelmente turva. Roland e Steven era anjos caídos que passaram a ser Acaso se quer sabia o que isso significava? Ela cerrou os olhos, olhando-o. Talvez ele só estava perguntando se Luce estava se divertindo? Todos empurravam contra ela de uma vez. Pela forma que festejam, espero que estejam de baixa pelo fim de semana. Alguma vez viveu no oeste de Los Angeles?

Boa festa, certeza. Ao menos para os garotos Nephilim. Segundos mais tardes, os ramos estavam levantados, o ritmo dos tambores havia mudado, e parecia que todo o grupo havia deixado o que estavam fazendo para formar uma longa fila, a animada fila do limbo.

No entanto, Dawn e Jasmine estavam fazendo uma abertura na fila pra que ela se metesse entre as duas. Provavelmente nasceu competindo. Shelby estava esticando suas costas.

Inclusive os marinheiros iam jogar. Uma vez que o jogo começou, a fila se moveu rapidamente, a terceira rodada Luce se agitava facilmente por baixo do ramo. E obteve uma rodada de aplausos por fazê-lo.

Estava animado pra os outros garotos também, só um pouco surpreendida de encontrar a si mesma saltando acima e abaixo quando Shelby a alcançou.

Havia algo surpreendente em arquear a postura no limbo. Depois de uma bem sucedida mudança, a festa inteira parecia alimentar-se disso. Mas de alguma maneira essa noite se sentia mais leve. Mas no momento em que Luce se deslizou em seu quinto turno, a fila era significativamente mais curta.

Na parte posterior da fila, Luce estava enjoada e um pouco transtornada, pelo forte aperto que sentiu em seu braço.

Ela começou a gritar, logo sentiu uns dedos cobrir sua boca. Daniel estava levando-a para fora da fila e fora da festa. Todas elas davam voltas em sua mente. Estavam sós agora. Ela levou os braços ao redor de seus largos ombros e olhou seus olhos de cor violeta.

Para toda a eternidade. Mas do outro lado da rocha, sentiam como um concerto privado. Luce fechou seus olhos e seu afundou em seu peito, encontrando o lugar onde sua cabeça encaixava dentro de seus ombros como uma peça de um enigma.

Ele apontou os pés dela. Luce tirou seus sapatos e os jogou para um lado da praia. A areia entre seus dedos era suave e fresca. Amplas e bonitas, brilhantes na noite, devem ter sido as asas mais gloriosas de todo o Céu.

Suas asas se bateram suavemente, quase como um ritmo, submetendo-se os dois, centímetros por cima da praia. Agora se moviam pelo ar, como os melhores patinadores artísticos se moviam no gelo. Luce engasgou quando a primeira onda espumosa roçou seus dedos. Daniel riu e os levou a um pouco mais alto no céu. Os fez girar duas voltas em círculo. Eles estavam dançando. No oceano. A lua era como um refletor, brilhando só sobre eles. Luce estava rindo de alegria, rindo tanto que Daniel começou a rir também.

Ela nunca se sentiu mais leve. Sua resposta foi um beijo. Ele a beijou suavemente a princípio. Ela devolveu o beijo profundo e faminto e um pouco desesperado, lançando todo seu corpo nele. Isso era como vir na casa de Daniel, a maneira que sentiu o amor que haviam compartilhado durante tanto tempo. Por um momento, todo o mundo ficou em silêncio. Logo Luce se distanciou, arquejando pelo ar. Nem se quer havia notado que estavam de volta a praia. O gorro escondia seu cabelo loiro. Luce pegou de volta o gorro de esqui.

Seu cabelo loiro desnudo fazia sentir-se mais exposta, como uma bandeira de cor roxa brilhante alertando a Daniel que ela poderia estar caindo em pedaços. Ela exalou, apontando, e deixou que seu toque passasse lentamente sobre ela. Ela virou a cabeça para cima para encontrar com seus olhos. Finalmente podiam estar juntos? Mas o aspecto desgastado nos seus olhos lhe deu a resposta antes de abrir a boca.

Mas me preocupo com você. Ela o afastou. Assim, tecnicamente sou eu. Tratando de averiguar o que estou fazendo aqui com tudo isso Só estamos tratando de suportar dias após dia. Fazer amigos, sabe? Ontem me uni a um clube, e estamos planejando uma viagem de iate a algum lugar.

E sobre tudo que havia feito no bosque. Nunca havia o visto perder as estribeiras com tanta rapidez. Logo olhou até o céu e Luce seguiu seu olhar. Uma sombra passou rapidamente sobre suas cabeças, como um completo concerto de fogos artificiais deixando uma cola mortal, cheia de fumaça.

Daniel parecia ser capaz de lê-lo de imediato. Isso deve ser amor verdadeiro. Ele a agarrou pelos ombros e a sacudiu até que encontrou seus olhos. Envergonhada, afastou-se. Olhou seu suspiro e logo, o ritmo das asas. Quando virou sua cabeça, Daniel voava pelo céu, a meio caminho entre o oceano e a lua. Suas asas estavam acessas por um branco brilhante debaixo da luz da lua.

Capítulo 5 Quatorze dias Durante a noite uma camada de neblina movia-se sem vento como um exército, instalando-se na cidade de Fort Bragg. Assim, durante todo o dia de sexta na escola, Luce sentiu que estava sendo arrastada por uma lenta maré. Os professores estavam fora de foco, sem compromissos, e lentos com suas conferências. No momento em que a aula estava terminando, a tristeza havia penetrado até a essência de Luce. Dormir a noite anterior havia sido impossível. Havia caminhado e rodado sem realmente ter sono.

E essa ordem insultante que ele havia dado de permanecer dentro do perímetro da escola? Em que época estavam, no século XIX? Ainda estava enjoada e perturbada depois das aulas, movendo-se pela neblina até o dormitório. Seus olhos estavam nublados e ela estava praticamente sonambula no momento em que abriu a porta de seu quarto. Era de cor creme, suave e quadrado, e quando o girou, viu seu nome escrito nele.

O abriu, esperando uma desculpa por parte dele. Sabendo que ela lhe devia uma também. A carta estava digitada em um papel de cor creme dobrado em três partes. Querida Luce. Estarei te esperando perto do penhasco norte. Mal posso esperar pra te ver.

Com amor, Daniel. Sacudindo o envelope, Luce sentiu um pequeno papel no interior. Isso era tudo. Daniel podia aparecer em qualquer lugar, em qualquer momento. Ele costumava ser alheio as realidades logísticas que os humanos tinham que suportar.

Seu lado mais imprudente desejava nunca tê-lo recebido. Ela tentou lembrar como seus olhos haviam brilhado e como sua voz havia soado quando lhe contou lhe contou essa história sobre o tempo que haviam passado juntos na Califórnia durante a febre do outro. A forma que a havia visto pela janela e havia se apaixonado por ela pela milésima vez.

Essa era a imagem que levou com ela poucos minutos depois, ainda que caminhasse através do longo caminho até a porta principal de Shoreline, até a parada onde podia pegar o ônibus que a levaria até Daniel. Observava os carros incolores materializarem-se na neblina, passando rapidamente pelas curvas fechadas sem parapeitos na auto-estrada 1, e desaparecendo de novo.

Luce estava saindo, mas onde estava o prejuízo? O ônibus era velho, cinza e decrépito, igual ao chofer que colocou a alavanca na porta para Luce subir.

Ela tomou um assento vazio perto da parte dianteira. No momento em que chegaram na cidade estava chovendo, um constante chuvisco. Ao descer do ônibus, Luce pegou o gorro de esqui de sua mochila e o colocou na sua cabeça. Podia sentir o frio da chuva em seu nariz e em seus dedos. Avistou um letreiro verde de metal e seguiu sua flecha até Noyo Point. O lugar era uma península larga, sem o exuberante verde do terreno do campus de Shoreline, com uma mistura de grama desigual e crostas molhadas de areia cinza.

Ali deve ser o local onde Daniel queria que se encontrassem. Mas onde estava. Olhou seu relógio. Ela havia chegado cinco minutos atrasada. Daniel nunca chegava tarde. Havia uma fileira de tendas na rua principal. Luce foi passar o tempo ali, parando embaixo de uma varanda de madeira com um toldo de metal oxidado.

Enquanto Luce esperava, um bote pequeno de pescadores chegava a terra. Ela observou a finíssima linha de homens, entorpecidos em suas capas de chuva encharcadas, subindo as rochosas escadas. De fato, parecia ter aparecido de repente entre a neblina. Estava vestido com estreito jeans negro e uma jaqueta de couro negra.

Um indício de uma tatuagem negra era visível em seu pescoço. Fez o seu sangue gelar. Era tarde. O verde olhar de Cam caiu sobre ela E sim que ele vinha alarmado em vê-la.

Ele virou, movendo-se contra o fluxo dos poucos pescadores, e esteve ao seu lado em um instante. Cam parecia mais que alarmado, decidiu Luce, parecia quase aterrorizado.

Mantê-la afastada de gente como ele era o ponto principal de sua mudança de lugar. Agora ela havia estragado. Cam coçou a teste, vendo-se preocupado. Elle Kennedy. A escolha. Dezessete luas - Beautiful Creatures - vol. Entre o agora e o sempre.

Dezesseis luas - Beautiful Creatures - vol. Dezoito luas - Beautiful Creatures - 3. Cidade do fogo celestial - Instrumentos mortais - vol. Cassandra Clare. Cidade de vidro - Os instrumentos mortais vol. Kylie Scott. Cidade das cinzas - Os instrumentos mortais - vol. Cidade das almas perdidas - Os instrumentos mortais - vol.

Princesa mecânica - As peças infernais - vol. O jogo. O acordo. Box Hush,Hush. Anna Todd.

LIVRO FALLEN TORMENTA GRATIS BAIXAR

Encontrada - Perdida - vol. Carina Rissi. Maze Runner: A cura mortal. James Dashner. O desafio. Rachel Van Dyken. Em chamas. Sylvia Day. A guerra dos tronos. George R. A conquista. Um desejo selvagem. A coroa. Entre o agora e o nunca. Cidade dos ossos - Os instrumentos mortais - vol. Cidade dos anjos caídos - Os instrumentos mortais - vol.

Madeline Hunter. Maze Runner: Prova de fogo. Porque você é minha. Beth Kery. Príncipe mecânico - As peças infernais - vol. Ligeiramente seduzidos. Mary Balogh. Trilogia Jogos Vorazes. Suzanne Collins. Um toque de vermelho. Playboy irresistível. Christina Lauren. O destino do tigre.

Colleen Houck. O conde enfeitiçado. Julia Quinn. A elite. Seduzida por um guerreiro escocês. Maya Banks. Era uma vez no outono. Lisa Kleypas. O príncipe dos canalhas. Loretta Chase. Pode Beijar a Noiva.

Tormenta (Fallen #2)

Para Sir Phillip, com amor. Ligeiramente escandalosos. Anjo mecânico - Peças infernais - vol. Maze Runner: Correr ou morrer. A caminho do altar.