3deko.info

Olá, meu nome é Pablo e criei este blog para ajudar os estudantes portugueses a estudar. Carrego milhares de arquivos úteis toda semana

BAIXAR LIVRO FELICIDADE CLANDESTINA CLARICE LISPECTOR


Felicidade Clandestina - Reunião de 25 contos da brasileira de origem ucraniana Clarice Lispector, "Felicidade clandestina" traz a linguagem intimista. Baixar o livro aqui: clarice_lispector_felicidade_clandestina_e_outros_contos Nascida Chaya Pinkhasovna Lispector (em russo: Хая Пинхасовна Лиспектор) . Acesse Online Cursos Gratuitos e baixe 25 Livros de Clarice Lispector hoje 25 Livros de Clarice Lispector para Baixar em PDF Felicidade Clandestina.

Nome: livro felicidade clandestina clarice lispector
Formato:ZIP-Arquivar (Livro)
Sistemas operacionais: iOS. Windows XP/7/10. MacOS. Android.
Licença:Somente uso pessoal
Tamanho do arquivo:13.63 Megabytes

FELICIDADE CLARICE CLANDESTINA LISPECTOR BAIXAR LIVRO

Obrigada pela visita, volte sempre. Fuvest-SP Qual o significado que se pode dar a e cebendo forte influncia machadiana? Mas possuía o que qualquer criança devoradora de histórias gostaria de ter: um pai dono de livraria. Daniela Soares rated it liked it Aug 04, Ciências Humanas e Sociais Voltar Voltar. Come, Paulinho. A autora revela aqui sua tendência a encarnar-se em pessoas, passando a experimentar suas sensações e a imitar-lhes o comportamento. Literatura Crianças Até 3 Anos. Marcela Campos rated it it was amazing Oct 14, Chegou o dia em que estavam eles, rapaz e moa, Sbito, o menino desperta e que horror! Grata, Aynis. Assinatura na folha do rosto. Falava alto, mexia com os colegas, interrompia o professor. Mais uma vez, obrigada! Placa de Captura Tv Voltar Voltar. A estrada era mais bonita que Somente horas depois, ela foi salva por um rapaz de o Rio de Janeiro, e subia muito. Silvana Sartori 2 de novembro de

Baixar o livro aqui: clarice_lispector_felicidade_clandestina_e_outros_contos Nascida Chaya Pinkhasovna Lispector (em russo: Хая Пинхасовна Лиспектор) . Acesse Online Cursos Gratuitos e baixe 25 Livros de Clarice Lispector hoje 25 Livros de Clarice Lispector para Baixar em PDF Felicidade Clandestina. Clarice Lispector () transformou a técnica narrativa ao inserir o "eu" dos personagens Felicidade Clandestina – CLIQUE AQUI!. (Disponível na obra “Felicidade Clandestina”; ebook disponível em /book/ baixar-livro-felicidade-clandestina-clarice-lispector-em-pdf-epub-e-mobi/) http ://3deko.info Download full-text PDF. Clarice relato “Felicidad Clandestina” de Clarice L ispector, publicado en el libro con la misma. titulación Introdução. O conto “ Felicidade Clandestina”, de Clarice Lispector, está inserido no volume homôni mo.

Eu lhe dou dinheiro e você toma o trem para o Rio, ouviu? Mocinha pegou no dinheiro e dirigiu-se à porta. Na rua, de novo pensou em Maria Rosa, Rafael, o marido. Mas lembrava-se. Sorriu como se pregasse uma peça a alguém: em vez de voltar logo, ia antes passear um pouco. Um homem passou. A sede voltou-lhe, queimando a garganta. O sol ardia, faiscava em cada seixo branco. A estrada de Petrópolis é muito bonita. Mocinha ficou parada, espreitando. Quando a estrada ficou de novo vazia, Mocinha adiantou-se como se saísse de um esconderijo e aproximou-se sorrateira do chafariz.

A estrada subia muito. A estrada era mais bonita que o Rio de Janeiro, e subia muito. O céu estava altíssimo, sem nenhuma nuvem. E tinha muito passarinho que voava do abismo para a estrada. A estrada branca de sol. Sabe por que parece chato? Quando dizem para ele, é só acreditar, pra ele nada precisa parecer. No fundo, parece que cabe mais, mas é só para o fundo, no chato cabe para os lados e a gente vê logo tudo o que tem. Eu também. A gente olha e vê um pouco do outro lado, é cheio de desenho bem igual, é frio na boca, faz barulho de um pouco de vidro quando se mastiga.

Para você carne tem gosto de carne? Só quero ver: da carne pendurada no açougue?! Come, Paulinho. Via tudo, e à toa. Pouco a pouco é que fui percebendo que estava percebendo as coisas.

Mas parece-me que me sentia satisfeita com o que via. Sei que se ama ao que é Deus. Com amor grave, amor solene, respeito, medo, e reverência. Mas nunca tinham me falado de carinho maternal por Ele. E foi quando quase pisei num enorme rato morto. Em menos de um segundo estava eu eriçada pelo terror de viver, em menos de um segundo estilhaçava-me toda em pânico, e controlava como podia o meu mais profundo grito.

O meu medo desmesurado de ratos. Toda trêmula, consegui continuar a viver. Toda perplexa continuei a andar, com a boca infantilizada pela surpresa. Pelo menos a contigüidade ligava-os. Os dois fatos tinham ilogicamente um nexo. Espantava-me que um rato tivesse sido o meu contraponto. De que estava Deus querendo me lembrar? O Plantador e as Sementes Era uma vez, numa cidade muito distante, um plantador chamado Pedro. C - Homem? Que homem? A - Um viajante C - Ele te viu? Os pais tinham morrido e ela morava num castelo.

A dona do castelo era uma mulher. Se eu contar quero morrer sequinha na mesma hora Viver com felicidade é sucesso com harmonia e humildade. Luís Norberto Pascoal Agradecemos aos parceiros que investem em nosso projeto.

Por que ler Clarice Lispector?

Autor: Alexandre Compart. Belo Horizonte: Instituto. Segunda-Feira, 05 de Julho de Ao levantar pude sentir o peso de meu corpo, parecia uma pedra. Fui andando devagar até o banheiro.

CLANDESTINA CLARICE LISPECTOR LIVRO FELICIDADE BAIXAR

Ernest Hemingway Colinas como elefantes brancos As colinas do outro lado do vale eram longas e brancas. Ele gostava do trabalho, mas ficava. Peça infanto-juvenil, em um só ato com quatro personagens sendo as mesmas atrizes, mostrando a vida de duas meninas, no. Um planeta chamado Albinum 1 Kalum tinha apenas 9 anos. Era um menino sonhador, inteligente e inconformado. Vivia num planeta longínquo chamado Albinum. Era um planeta muito frio, todo coberto de neve.

Porém, quando tornei a sair consciente, expus ao professor tudo o que estava acontecendo comigo, e como eu. Versículo: O caminho para vida é de quem guarda o ensino, mas o que abandona.

Os encontros de Jesus 1 Jo 4 sede de Deus 5 Ele chegou a uma cidade da Samaria, chamada Sicar, que ficava perto das terras que Jacó tinha dado ao seu filho José. Era mais ou. Chantilly, 17 de outubro de Capítulo 1. Avilly foi completamente afetada. Verifique com os detentores dos direitos da. Narrador Era uma vez um livro de contos de fadas que vivia na biblioteca de uma escola. Quase um ano havia se passado. As Três Amigas Em , em uma cidade pequena e calma, havia três amigas muito felizes, jovens e bonitas.

Teatro Guaíra, no ano de O vício torna José violento, até que. O sol de maio deixava o dia ainda mais bonito. Minha rocha eterna. Tu és minha justiça, ó Deus. Tu és Jesus, amado da Minh alma. Perto de ti, sou mais e mais.

Obedeço a tua voz. Pois eu sei que tu és Senhor, o. Meu lugar,minha história. Substitui as palavras assinaladas pelos sinónimos ao lado que consideres mais adequados.

É bonita a história que acabaste de contar. Ele adora. Entrevista G1. Quem tem medo da Fada Azul? Lino de Albergaria Quem tem medo da Fada Azul? Mensagem Pr. Capítulo 3 N o meio do caminho tinha uma casa. A casa da Laila, uma menina danada de esperta. Se bem que, de vez em quando, Fredo e Dinho achavam que ela era bastante metida. Essas coisas que acontecem. Um pequeno gesto afectuoso pode ter um grande significado.

As Janelas Douradas O menino trabalhava. Anderson Cavalcante meu jeito de dizer que te amo Dedicatória A Tabata, minha esposa, mulher, amante e melhor amiga, que com muito charme, carinho e um pouco de paciência compartilha comigo as descobertas. Pelo menos foi isso que ele disse. O interfone tocou. Objetivos: Ensinar que quando Moisés aproximou-se de Deus, os israelitas estavam com medo.

Ensinar que hoje em dia, por causa de Jesus, podemos nos sentir perto de Deus. Alô, alô Quero falar com o Marcelo. Quem é? Escuta aqui. Eu só vou falar uma vez. A Adriana é minha. Vê se tira o bico de cima dela. Que Adriana? Base bíblica: Ef. Uma história de uma. A dar aos que mais precisam. Um dia, uma mulher vestida de trapos velhos percorria as ruas. O Afonso levantou-se de um salto, correu para a casa de banho, abriu a tampa da sanita e vomitou mais uma vez. Posso ajudar?

Ele era um boneco especial, porque podia. Para os meus amigos. Para os meus pais, por tudo o que fizeram por mim. Rafael chegou em casa um tanto cabisbaixo Na verdade, estava muito pensativo. No dia anterior tinha ido dormir na casa de Pedro, seu grande amigo, e ficou com a cabeça. Objetivos: Ensinar que devemos cuidar de nossos corpos e recusar coisas que podem prejudicar nossos corpos 2. Durante três anos, tornei-me um leitor voraz de histórias juvenis da literatura nacional, mergulhei.

O sonho de Deus para a família é que seja um. Pg: 03 Você é muito bonzinho Pg: 04 Vamos ser apenas amigos dicas para zona de amizade Ana e o e o Jardim de Flores Era uma vez um grande rei que morava em um lindo castelo rodeado de pequenos vilarejos. O rei amava muito o seu povo, e o povo também o amava.

Ele visitava frequentemente os. Um adolescente que tem um pai envolvido com a criminalidade. Samaria ficava a 67 KM de Jerusalém,.

Palestrante: Pedro Quintanilha Freelapro Título: Como o Freelancer pode transformar a sua especialidade em um produto digital ganhando assim escala e ganhando mais tempo Quem sou eu? Eu me tornei um freelancer.

Ensinar a importância de pedir diariamente a ajuda de Deus. Lembro-me de estar ansioso e ter passado a noite anterior preparando a minha entrevista. Como iria. Ainda depois de 4 meses na Dinamarca, este país ainda consegue fazer surpresas.

Desde de agosto, a minha. Obedecer é sempre certo Obedecer. Crianças recebem. Versículo: Ora, àquele que é poderoso para fazer. Corta para dentro de um apartamento O apartamento é bem mobiliado. O Príncipe das Histórias Era uma vez um príncipe que morava num castelo bem bonito e adorava histórias. Ele gostava de histórias de todos os tipos.

Ele lia todos os livros, as revistas, os jornais, os. O tempo. Por E a dona do bass, j impaciente com aquela situao, puro carinho, eu me senti a me de Deus, que era a Terra, fez com que o co se afastasse da menina para acompa- o mundo. Por puro carinho, mesmo, sem nenhuma prepo- nhar a sua dona. A menina espantada, com o acontecimen- tncia ou glria, sem o menor senso de superioridade ou to nas mos, acompanhou-o at v-lo dobrar a esquina.

Soube Este, por sua vez, foi mais duro e no olhou uma vez sequer tambm que se tudo isso fosse mesmo o que eu sentia para trs. E no meio Ser-Lhe-ia aceitvel a intimidade com que eu fazia cari- de tantas ruas a serem trotadas, de tantos ces maiores,.

O sentimento era novo para mim, mas muito certo, de tantos esgotos secos l estava uma menina, como e no ocorrera antes apenas porque no tinha podido ser. Eles se fitavam profun- Sei que se ama ao que Deus. Com amor grave, amor so- dos, entregues, ausentes de Graja. Mais um instante e o lene, respeito, medo, e reverncia. Mas nunca tinham me suspenso sonho se quebraria, cedendo talvez gravidade falado de carinho maternal por Ele.

E assim como meu ca- com que se pedia. E foi quando quase pisei num enorme rato morto. Ela se perguntava por que Deus havia como a oposio Vida x Morte, tendo como base a velha de insult-la com tamanha grosseria e brutalidade, j pergunta: quem nasceu primeiro, o ovo ou a galinha?

Naquele grande amor que estava sentindo at esta pergunta sem titubear: tudo ser quebrado pela presena daquele rato horroro- so. Na sua incompreenso, pensa at em se vingar de [] Quanto a quem veio antes, foi o ovo que achou Deus, mas depois vai compreendendo que amar no a galinha.

A galinha no foi sequer chamada. A galinha mesmo fcil, que ela s queria amar o que lhe convinha, diretamente uma escolhida. A galinha vive como em que era muito teimosa e, s vezes, era preciso que lhe sonho. No tem senso da realidade. Todo o susto da gali- dissessem isso com brutalidade, que ela nunca poderia nha porque esto sempre interrompendo o seu devaneio.

A galinha sofre de um mal seres fossem mortos, ainda que fosse aquele rato asque- desconhecido. O mal desconhecido da galinha o ovo. Diante de um simples ovo em cima sobre a sua relao com Oflia em que dio e amor se da mesa, num certo dia de manh, a narradora deva- confundem , menina que causava nela certo complexo neia, fazendo com que um simples fato cotidiano o do de inferioridade, pois a menina, filha de arrogantes vizi- ovo estar em cima da mesa vire motivo para toda uma nhos, dava-lhe conselhos sobre a educao dos filhos, questo existencial: sobre as despesas com a casa etc.

E me faz sorrir o meu mistrio. O meu mistrio que eu ser Se me perguntassem sobre Oflia e seus pais, teria apenas um meio, e no um fim, tem me dado a mais malicio- respondido com o decoro da honestidade: mas os co- sa das liberdades, no sou boba e aproveito. Inclusive fao um nheci.

Diante do mesmo jri ao qual responderia: mal mal aos outros que, francamente. O falso emprego que me me conheo e para cada cara de jurado diria com deram para disfarar a minha verdadeira funo, pois apro- o mesmo lmpido olhar de quem se hipnotizou para a veito o falso emprego e dele fao o meu verdadeiro, inclusive o obedincia: mal vos conheo.

Mas s vezes acordo do dinheiro que me do como diria para facilitar minha vida de longo sono e volto-me com docilidade para o delicado modo a que o ovo se faa, pois esse dinheiro eu tenho usado abismo da desordem. A isso tudo ainda chamo ter a neces- Estou tentando falar sobre aquela famlia que sumiu h sria modstia de viver. E tambm o tempo que me deram e anos sem deixar traos em mim, e de quem me ficara ape- que nos do apenas para que no cio honrado o ovo se faa, nas uma imagem esverdeada pela distncia.

Esta a minha simplici- E ao descobrir o pintinho na cozinha, a menina se dade p. Era a chance de a narradora se impor, Reproduo proibida.

Cem anos de perdo mostrar-se superior quela frgil criatura, que no se Narrado em 1a pessoa por uma menina pequena que conteve, aps os seus carinhos no pintinho, ao v-lo se especializou em roubar rosas e pitangas. Na primeira morto no cho da cozinha: vez em que roubou uma rosa, armou um plano: entra- ria em uma grande casa, onde o jardineiro no estava A uma distncia infinita eu via o cho. Oflia, tentei eu vista; as janelas, por causa do sol, estavam fechadas; inutilmente atingir a distncia o corao da menina cala- naquela rua no passavam bondes e, raramente, passa- da.

Oh, no se assuste muito! Eu que no me lembrara de lhe ralmente para longe da casa. Mas juro que isso O que que fazia eu com a rosa? Fazia isso: ela era mi- a respirao. Eu estava muito cansada, sentei-me no ban- nha. Onde agora estou, batendo devagar o bolo de amanh.

Sempre que roubava rosas ou pitangas, procedia da Sentada, como se durante todos esses anos eu tivesse com mesma forma, com o corao batendo forte: a amiga vi- pacincia esperado na cozinha.

O amarelo o mesmo, o giando, ela entrando, quebrando o talo e fugindo era bico o mesmo. Como na Pscoa nos prometido, em de- uma glria que ningum tirava dela. Oflia que no voltou: cresceu. Foi ser a princesa hindu por quem no deserto sua tribo esperava.

Nunca ningum soube. No me arrependo: ladro de ro- p. As pitangas, por exemplo, so elas mesmas que pedem para ser colhidas, em Os obedientes vez de amadurecer e morrer no galho, virgens. E termina, dizendo: que, sozinho, sem o outro, viveria mais seria caminho Mas teu prazer entende o meu. Ns somos fortes e ns co- longo para se reconstruir, e de intil trabalho, pois de v- memos.

Po amor entre estranhos. A descoberta do casal de que, apesar de sita de um inseto verde a esperana que pousou toda uma vida lado a lado, deixaram de realizar muitos na parede da casa, e mais magra e verde no podia ser.

Sonhadores, eles passaram a sofrer sonhadores, era he- Ela s tem alma, explicou meu filho e, como filhos roico suportar. Calados quanto ao entrevisto por cada um, so uma surpresa para ns, descobri com surpresa que ele discordando quanto hora mais conveniente de jantar, um falava das duas esperanas. Clarice Lispec- ma frgil, delicada e inofensiva. No havia dvida: a es- tor, usando de uma metfora a do trem descarrilado perana pousara em casa, alma e corpo: , mostra a impossibilidade dos convidados de sarem.

De repente, aludindo Santa Ceia, a anfitri come- Uma vez, alis, agora que me lembro, uma esperan- a a lavar os ps dos convidados: a bem menor que esta, pousara no meu brao. No sen- ti nada, de to leve que era, foi s visualmente que tomei [] Ento aquela mulher dava o melhor no importa- conscincia de sua presena.

FELICIDADE BAIXAR CLARICE LISPECTOR CLANDESTINA LIVRO

Encabulei com a delicadeza. E lavava contente os ps do primeiro estrangei- Eu no mexi o brao e pensei: e essa agora? Constrangidos, olhvamos. Em verdade nada fiz. Fiquei extremamente quieta como se uma flor tivesse nascido em mim. Depois no me Logo aps, o narrador passa a descrever a farta mesa lembro mais o que aconteceu. E, acho que no aconteceu que se mostrava diante dos olhos dos estrangeiros: nada. A mesa fora coberta por uma solene abundncia.

Sobre Macacos a toalha branca amontoavam-se espigas de trigo. E mas Narrado em 1 pessoa, este conto gira em torno da vermelhas, enormes cenouras amarelas, redondos toma- identificao da narradora com a macaquinha Lisette. Este Outro pode ser um animal nos que se fechavam duros sobre a prpria carne aquosa, como acontece no conto Macacos ou uma criana pimentes ocos e avermelhados que ardiam nos olhos como em A legio estrangeira ou uma coisa como tudo emaranhado em barbas e barbas midas de milho, em O ovo e a galinha.

E l estava Lisette com ser comido. E estavam todos ocupados como quem la- pulseiras e sua saiazinha de baiana. Levou-a para casa: vra a existncia, e planta, e colhe, e mata, e vive, e morre, e come p. E o narrador comeu como quem no en- Quanto a essa, era mulher em miniatura. Trs dias es- gana o que come. E, numa referncia metalingustica, teve conosco.

FELICIDADE LISPECTOR CLARICE LIVRO CLANDESTINA BAIXAR

Era de uma tal delicadeza de ossos. De uma. Mais que os olhos, o olhar era arre- excessivamente cansados. Eu no podia mais. Talvez por dondado. Cada movimento, e os brincos estremeciam; a saia cansao, mas eu sucumbia. Eram passos cada vez mais sempre arrumada, o colar vermelho brilhante. Dormia muito, lentos e a folhagem das rvores se balanava lenta.

O primeiro Beijo e Outros Contos

Eram mas para comer era sbria e cansada. Seus raros carinhos passos um pouco deslumbrados. Em hesitao fui paran- eram s mordida leve que no deixava marca.

Intimidada, eu hesitava. Estava Adoecida, Lisette levada ao hospital. L, a narrado- sozinha na relva, mal em p, sem nenhum apoio, a mo ra repreendida pelo enfermeiro, que lhe disse que no no peito cansado como a de uma virgem anunciada. E de se devia baixar animais na rua, pois muitos j vinham cansao abaixando quela suavidade primeira uma cabe- doentes. Notem a ironia da narradora, um dos traos a finalmente humilde que de muito longe talvez lembras- marcantes de Clarice Lispector: No, tinha-se que com- se a de uma mulher.

A copa das rvores se balanava para prar macaca certa, saber da origem, ter pelo menos cinco a frente, para trs. Voc uma menina muito engraa- anos de garantia do amor, saber do que fizera ou no fize- da, voc uma doidinha, dissera ele.

Era como um amor. Mas Li- A criada sette no resistiu e morreu: Com foco narrativo em 3a pessoa, este conto tem o se- guinte enredo: uma criada, seu nome era Eremita.

Tinha O menor me perguntou: Voc acha que ela morreu de 19 anos.

‎Felicidade Clandestina no Apple Books

Rosto confiante, algumas espinhas. Uma moa brincos? Eu disse que sim. Uma semana depois o mais ve- doce e prestimosa, apesar de responder, s vezes, com lho me disse: Voc parece tanto com Lisette!

Eu tambm m criao e justificar depois que ela era assim mesmo, gosto de voc, respondi. Tinha medo de trovoadas, tinha fome de po e era o nico momento em que deixava de ser Reproduo proibida.

Os desastres de Sofia serena , que comia depressa como se pudessem tir-lo, Narrado em 1 pessoa e usando a tcnica do flash- tinha vergonha de falar. Era gentil e tinha um noivo, que -back, a histria gira em torno do relacionamento entre a dizia que a respeitava muito. Eremita tinha as suas au- aluna de nove anos e o seu professor primrio. Ao desco- sncias. Cada vez mais para a qual havia descoberto um atalho.

Sofia se interessava por aquele professor grande, gordo, de ombros contrados, vestindo terno menor que o seu [] Mesmo quando tirava o dinheiro que a patroa nmero. Entretanto, o professor passou a ignor-la, nem esquecera sobre a mesa, mesmo quando levava para o mesmo olhando para ela. Numa redao feita em sala de noivo em embrulho discreto alguns gneros da despensa.

Segundo o professor, no A mensagem encontro entre os dois a ss na sala, ela havia escrito que Narrado em 3 pessoa, este conto trata da angstia. Ao confessar a admirao pela sua redao, Sofia bos sentem angstia, ento, forma-se o pacto horrvel, se desmorona para a viver o seu momento de epifania: porque somente naquele nico dia eles se compreen- a descoberta do que o verdadeiro amor.

Eram obstinados rivais, ape- sar de ela ser to feminina e ele to indeciso, mas viril. Mas ainda no divisara o fim sombreado do par- Alm de tristes, eram orgulhosos e audaciosos, como se que, e meus passos foram se tornando mais vagarosos, fossem homossexuais de sexo oposto. E era de um ami- um pudesse dar o grande voo solitrio e o adeus um ao go que ele precisava. Talvez, maduros como uma gota narrador em 1 pessoa , j que, mesmo a bico de pena, de gua, tivessem provocado o acontecimento de que fa- ainda muito pequeno e assim continuar progredin- larei.

Por enquanto, ele senta-se no cho, ensaia mensagem. Chegou o dia em que estavam eles, rapaz e moa, Sbito, o menino desperta e que horror! Uma manso que eles olhavam como [] Quase desfalece em soluos, com urgncia ele tem crianas diante de uma escadaria.

Ficaram ali por uns que se transformar numa coisa que pode ser vista e ouvida instantes, presos pelo fascnio e pelo horror. Divididos seno ele ficar s, tem que se transformar em compreen- estavam entre o sonho de serem escritores futuro in- svel seno ningum o compreender, seno ningum ir ventado por eles mesmos e o divertimento que era para o seu silncio, ningum o conhece se ele no disser muito diferente da angstia que os salvaria.

O rapaz, com um cinismo reconfortante, olhou curio- dos outros e outros sejam meus, pularei por cima de minha so a moa e pensou se seria possvel que uma mulher felicidade real que s me traria abandono, e serei popular, soubesse o que a angstia realmente.

E viu que ela fao a barganha de ser amado, inteiramente mgico no passava de uma moa e que mulher servia mesmo chorar para ter em troca: me. Despediram-se, ela tomou o nibus e partiu e ele A me tira-lhe a fralda molhada e coloca outra bem teve vontade de chorar E agora, quem o deixaria que sequinha e os seus olhinhos tambm ficam assim: secos fosse longe demais e se perdesse?

Apenas um instante de fraqueza e vacilao. Mas den- Uma histria de tanto amor tro desse sistema de duro juzo final, que no permite nem Narrado em 3a pessoa este conto gira em torno do se- um segundo de incredulidade seno o ideal desaba, ele guinte enredo: uma menina de tanto observar galinhas, olhou estonteado a longa rua e tudo agora estava es- passa a conhecer-lhes a alma e os mais ntimos anseios.

Essa menina tinha duas galinhas: Pedrina e Petronilha. Agora e enfim sozinho, estava sem defesa merc da men- s vezes, achava que uma delas estava doente do fgado tira pressurosa com que os outros tentavam ensin-lo a ser e pedia, ento, a uma tia, um remdio para trat-las. Mas e a mensagem?! A menina ainda no tinha entendido angstia-mulher: que os homens no podem ser curados de serem ho- mens e as galinhas de serem galinhas; tanto o homem Vendo-a afastar-se, ele a examinou incrdulo, com um como a galinha tm misrias e grandeza a da galinha interesse divertido, ser possvel que mulher possa real- a de pr um ovo branco de forma perfeita inerentes mente saber o que angstia?

E a dvida fez com que prpria espcie. A menina morava no campo e no ha- ele se sentisse muito forte. No, mulher servia mesmo era via farmcia perto para ela consultar.

A fa- rosto e, enfim, com a concha das mos cheia de gua mlia da menina resolve, um dia, lev-la para passear na salgada, bebe uns bons goles e agora o mar estava tam- casa de um parente e quando ela volta, sua tia conta que bm dentro dela. Depois de ficar de p parada no mar e haviam comido Petronilha.

Paperback , 80 pages. More Details Original Title. Friend Reviews. To see what your friends thought of this book, please sign up. To ask other readers questions about O primeiro Beijo e Outros Contos , please sign up. Be the first to ask a question about O primeiro Beijo e Outros Contos. Lists with This Book. This book is not yet featured on Listopia. Community Reviews. Showing Rating details.

More filters. Sort order. Mar 24, Maria Mar rated it it was amazing Shelves: lidos-em Feb 19, Sophia rated it really liked it.

Achei esse livro num sebo, repleto de anotações e rabiscos. Parece que estou a ler dois livros. Lindinho demais. Tenho preferido aos outros romances da Clarice.. Tenho preferido aos outros romances da Clarice Sep 24, Raphael Souza is currently reading it. Eu preciso dele para escola. Wesley Midas rated it liked it Apr 01, Marília Saldanha rated it really liked it Jul 20, Daniela Soares rated it liked it Aug 04, Nicole rated it it was ok Feb 01, Gabi Machi rated it liked it Dec 11,